Lifestyle

Dicas de maquilhagem… em transportes públicos

É provável que já tenha visto alguém a maquilhar-se no comboio ou no autocarro. Há quem o defenda e quem, pura e simplesmente, se recuse. À falta de tempo, deixamos algumas dicas de make up express.

Cosméticos em miniatura podem ser a solução

AFP/Getty Images

Ana Lobato, 26 anos, tem por hábito maquilhar-se no metro quando está atrasada para o trabalho. Todos os dias faz uma viagem de 15 minutos entre Arroios e Santa Apolónia. Não acha o ato de pintar-se particularmente difícil e descreve o metro como sendo “mais calmo, sem agitações ou tombos a torto e a direito”. Por esse motivo, consegue retocar o rosto sem borrar a maquilhagem. Volta e meia, dá um “jeitinho” aos olhos e coloca o batom. A fórmula do sucesso passa por ter um espelho na mala e algum equilíbrio. Ana conta ao Observador que não se sente envergonhada por rentabilizar o tempo desta forma. Prefere isso a estar desmaquilhada: “Não quero chegar ao local sem estar minimamente composta”.

No caso de uma “maquilhagem complexa” a questão da higiene tem de ser colocada. “A não ser que tenhas sempre na mala umas toalhitas desinfetantes, como eu. Assim posso tocar em tudo, limpo as mãos e já posso mexer à vontade na cara”, explica. Nestas circunstâncias não falta quem olhe para ela com um ar intrigado, principalmente quem se senta do seu lado, mas Ana Lobato admite que isso não a incomoda. “Vejo coisas mais assustadoras no metro”, contesta. Perguntamos se alguém, alguma vez, comentou a situação? “Já! Perguntaram-me se precisava de ajuda”, confessa, divertida.

Mas porquê falar do tema agora? O Telegraph faz uso de uma imagem muito recente de Drew Barrymore, na qual a atriz está a maquilhar-se no metro de Nova Iorque, para levantar o debate — aplicar maquilhagem nos transportes públicos é aceitável? No artigo, há quem defenda que sim por uma questão de aproveitamento do tempo e quem conteste por questões de higiene. Se sim, se não, a publicação recorda um estudo publicado em outubro do ano passado.

Concealing on the subway! With a @flowerbeauty tester roller ball concealer that comes out January 2015 @walmart #commuterbeauty

Segundo a Feelunique.com, que se assume como a maior distribuidora online de produtos de beleza premium da Europa, uma em três mulheres pinta-se a caminho do trabalho: 32% são confiantes o suficiente para colocar batom, rimel, eyeliner e base no comboio, metro ou autocarro, enquanto 25% gostaria que as empresas de viagens ajudassem no processo ao colocar espelhos na parte detrás dos assentos nos transportes. Outro dado curioso revela que 55% das mulheres garantem que são forçadas a maquilhar-se nos transportes por falta de tempo e 26% explica que escolhem fazê-lo para rentabilizar o seu tempo. O estudo teve por base 2 mil mulheres inglesas inquiridas.

À falta de tempo, torna-se urgente perceber quais as dicas essenciais para uma maquilhagem rápida e eficiente, seja em casa ou a caminho do trabalho. Rita Carvalho, a cargo da In Styleland, que desenvolve serviços na área de consultoria de imagem e comunicação, para particulares e empresas, deixa algumas dicas de make up express, a pedido do Observador. Ei-las:

  •  Misture o hidratante com a base ou com o BB cream (creme que combina hidratação, fator de proteção solar e cor): hidrata a pele ao mesmo tempo que uniformiza o seu tom e corrige as imperfeições do rosto. No verão, use um hidratante com FPS (Fator de Proteção Solar);
  • Um bom espelho onde se veja a cara na totalidade e luz são elementos fundamentais quando a maquilhar, para não correr o risco de obter um ar artificial e uma maquilhagem assimétrica. O ideal é pintar-se com recurso a luz natural. Por norma, o que exige precisão deve ser feito em casa;
  •  O blush líquido tem uma dupla função: dar cor às maçãs do rosto e aos lábios, pelo que substitui o batom. Um batom de cor exige muita atenção para que a operação não corra mal. Ao invés, um gloss é relativamente simples de aplicar;
  • Algumas marcas têm produtos miniatura, como é o caso de BB creams ou de máscaras de pestanas. São produtos práticos e leves para transportar numa bolsa. Além disso, existem caixas de maquilhagem de pequena dimensão, que contêm lápis de olhos, máscara de pestanas, sombras, blush e batom. Os pincéis retráteis também são ideais para levar na mala, já que ocupam menos espaço e têm uma tampa de proteção;
  • Como manter a maquilhagem por mais tempo? Através de produtos à prova de água (em pleno verão é natural que sue mais), mas não só. No caso de ter pele seca, aproveite para vaporizar água termal sobre o rosto, em vez de colocar mais camadas de maquilhagem. Caso a pele seja oleosa, pressione um lenço de papel no rosto, sem esfregar, para retirar o excesso de óleo, e com um pincel largo retoque a maquilhagem com um pó compacto;
  • Se tiver um jantar ou saída à noite, aproveite para retocar a maquilhagem com um pó compacto, utilizando um pincel largo, e coloque um batom de cor: encarnado, rosa ou laranja. Uma forma simples e fácil de mudar um look de dia para a noite.

Sim, nem todos estes passos são fáceis de fazer nos transportes públicos. E, claro, também há pessoas que não se sentem confortáveis a maquilhar-se à frente de estranhos.

Filipa Freire, finalista no curso de arquitetura, é um desses casos. Ao Observador, admite que nunca o faria. Das poucas vezes que anda de transportes públicos já testemunhou quem se maquilhasse em “andamento”, como “mulheres que parecem terem saído de casa a correr, com ‘micro’ espelhos a tentar maquilhar-se, umas com sucesso, outras nem por isso”. Aos 31 anos, Filipa já viu situações destas em todos os transportes públicos, inclusive no carro.

“Eu, que uso eyeliner, jamais conseguiria colocá-lo estando num autocarro ou num comboio”, confessa ao Observador, acrescentando que “as pessoas ficariam a olhar para mim e isso incomoda-me”. Conta ainda que teria de andar com um estojo de maquilhagem atrás, o que não lhe dá jeito. Apesar disso, partilha da opinião da anterior entrevistada: prefere chegar atrasada mas maquilhada, muito embora escolha usar o espelho lá de casa em vez de se pintar nos transportes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Crónica

Meus pais e seus aparelhos eletrônicos

Ruth Manus

Parece que todos os aparelhos eletrônicos que os meus pais compram foram vítimas de algum tipo de maldição que tornou seu funcionamento algo absolutamente anormal. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site