Logo Observador
Música

Camané, Jorge Palma, Xutos e Elisabete Matos em degradé

646

Camané, Elisabete Matos, Jorge Palma ou Xutos. Vários artistas de diferentes estilos vão trabalhar juntos para dar ao público um concerto com diversidade. O segredo vai estar no degradé.

Concerto é dia 20 de novembro

©Divulgação

Camané, Elisabete Matos, Jorge Palma e Xutos e Pontapés. Fado, ópera e rock. Nos intervalos, a dupla de DJs Beatbombers e o Quarteto de Cordas Alis Ubbo Ensemble. Parece um festival, mas todos estes artistas fazem parte de um único concerto, chamado “Música em Degradé”, e que vai acontecer a 20 de novembro no MEO Arena, em Lisboa.

Cada artista vai pisar o palco com os seus músicos e interpretar, durante cerca de meia hora, as canções que o público mais quer ouvir. Só que no “Música em Degradé”, tal como o nome indica, a passagem de testemunho entre os artistas vai ser feita de forma harmoniosa.

“É um choque brutal de estilos musicais e é no degradé que está o grande desafio”, explicou ao Observador Francisco Mello e Castro, CEO da Let’s Help, plataforma social criada em maio deste ano que está a organizar o evento. Para fazer a transição entre cada artista vão estar em palco a dupla de DJs Beatbombers, formada por DJ Ride e Stereossauro, e o Quarteto de Cordas Alis Ubbo Ensemble, da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Promete-se “um mix” de estilos para atrair um mix de públicos. Francisco também promete “algumas surpresas”. Quem sabe se as atuações separadas dos músicos não terão participações especiais entre si.

A ideia é fazer deste concerto o primeiro de vários com a marca “Música em Degradé” e recolher receitas de bilheteira para poder ajudar nos projetos sociais apoiados pela Let’s Help. “Não queríamos fazer mais do mesmo e pusemos uma agência de publicidade a pensar num conceito desafiante tanto para artistas de primeira linha como para os espectadores”, contou Francisco Mello e Castro sobre a génese do evento.

Os bilhetes já estão à venda e custam entre 15 e 40 euros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: socoelho@observador.pt
Terrorismo

Descansa em paz, Ocidente

Maria João Marques

Vender princípios tem sempre um preço, como o terrorismo mostra. Vender os direitos das mulheres na Europa para agradar aos islâmicos tem um preço claro – e começa a ser pago em vidas de mulheres.