Moda

Pintar axilas: mais uma moda ou murro na mesa?

1.129

Uma cabeleireira de Seattle é uma das promotoras da nova tendência, que está já muito presente nas redes sociais. Roxie Hunt diz que vai conhecendo mulheres que não sucumbem a essa "pressão social".

Imagem retirada do Tumblr.

Autor
  • Hugo Tavares da Silva

Ter estilo ou pinta tem muito que se lhe diga. A criatividade, irreverência e atitude costumam ser protagonistas na criação de novas tendências. Ora se aposta num corte aventureiro, ora se investe num bigode e patilhas à maneira. Suspensórios, minissaia, vestido, jeans ou t-shirt, é um sem fim de opções. Mas agora chegou uma tendência que promete agitar as coisas e criar divisões. Pintar as axilas está na moda. Sim, há senhoras (também há senhores) que decidiram deixar de depilar essa zona do corpo sempre impecável nos anúncios de desodorizantes, optando por colori-las, seja em protesto seja por piada.

Uma viagem ao Twitter, Instagram e Tumblr permite perceber que isto é um assunto sério. Segundo o jornal espanhol 20 minutos, uma das criadoras do movimento é Roxie Hunt, uma cabeleireira de Seattle, nos Estados Unidos. “Não é segredo que algumas de nós escolhem não depilar ou rapar as axilas. Cada vez mais vou conhecendo mulheres que decidem não sucumbir à pressão social de esfregar uma lamina contra a pele suave do seu corpo”, explicou Hunt, no blog onde escreve. 

E continuou: “Sempre quis colorir as axilas de alguém. Cheguei a fazê-lo, na verdade, mas foi pela noite dentro com muito vinho e sem as ferramentas apropriadas disponíveis. Pedi à minha colega, Rain, se ela aceitava deixar-me pintar a axila dela de azul para combinar com o cabelo e ela aceitou.” E assim arrancou uma tendência, que começa a surgir e a ser discutida cada vez mais nas redes sociais com a hashtag “dyedpits”. Vamos a uns exemplos?

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site