Greve

Mais de 10.000 reservas de voos na TAP alteradas ou canceladas devido à greve

Mais de 10.000 clientes contactaram a TAP para pedir a anulação de reservas de voos ou a alteração de datas, devido ao pré-aviso de greve para os dias 27 a 30 de dezembro, informou a companhia aérea.

Pedro Nunes/LUSA

Mais de 10.000 clientes contactaram a TAP para pedir a anulação de reservas de voos ou a alteração de datas, devido ao pré-aviso de greve para os dias 27 a 30 de dezembro, informou a companhia aérea.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, a transportadora informa que, no dia 11 de dezembro, quando foi informada sobre a convocação da greve, contava com cerca de 130 mil reservas para os voos no período da paralisação.

“De imediato, foi suspensa a venda de bilhetes para estes voos e autorizada sem qualquer penalização a mudança para datas fora do período de greve ou o respetivo reembolso, se não for possível reservar para outra data conveniente”, refere também a empresa.

Desde então, “mais de 10.000” das 130.000 reservas para os dias 27 a 30 de dezembro foram alteradas ou canceladas, indica a TAP, acrescentando que todos os clientes podem contactar a companhia através do número de telefone 707205700.

“Devido ao número de chamadas muito superior ao normal, os tempos de espera são elevados, apesar do ‘contact centre’ da TAP estar a trabalhar com equipas reforçadas”, explica também a companhia aérea.

A empresa acrescenta que as alterações às reservas podem ser também efetuadas através da página da companhia na rede social Facebook ou do respetivo agente de viagens.

“Aguardamos a definição dos serviços mínimos, fazendo votos para que o Tribunal Arbitral a quem compete a decisão tenha em consideração a época que atravessamos”, sublinha ainda a transportadora.

Os 12 sindicatos que representam os trabalhadores da TAP – grupo que entretanto o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), afeto à UGT, abandonou – convocaram uma greve de quatro dias, na sequência da recusa do Governo de suspender a privatização da companhia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site