Logo Observador
Lisboa

Cine Conchas: o cinema gratuito e ao ar livre regressa a Lisboa

30.539

Com uma seleção variada e de qualidade, todos os anos o jardim da Quinta das Conchas enche-se de cinéfilos. Este ano há filmes de animação, nomeados aos Óscares de 2015 e obras independentes para ver.

Há cadeiras para os que chegam mais cedo e mantas para agasalhar os mais friorentos

©D.R.

Com a chegada do bom tempo, o jardim da Quinta das Conchas, em Lisboa, volta a transformar-se em sala de cinema a céu aberto. O ciclo Cine Conchas arranca a 25 de junho com um filme nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e termina a 11 de julho com o filme de animação “Home: A Minha Casa”. Ao todo há nove filmes para ver, sem pagar nada por isso.

Os filmes passam às 21h45, às quintas, sextas e sábados. O primeiro é “Kon Tiki – A Viagem Impossível”, filme nomeado para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 2012, e que mostra a aventura do explorador norueguês Thor Heyerdahl, que em 1947 atravessou o Oceano Pacífico numa jangada de madeira.

Para o dia seguinte está reservado um filme imperdível, “As Vantagens de ser Invisível”, história protagonizada por Emma Watson, Logan Lerman e Ezra Miller sobre a transição entre a adolescência e a idade adulta. No sábado à noite, os mais novos vão gostar de ver o filme de animação “Como Treinares o teu Dragão 2”, que este ano concorreu ao Óscar de Melhor Filme de Animação.

Para quem ainda não viu “Whiplash”, filme sensação que este ano arrecadou três Óscares, a sessão de 10 de julho é imperdível. Na noite anterior será possível ver na tela “O Passado”, drama do realizador iraniano Asghar Farhadi que não vai desiludir quem gostou do seu anterior filme, “Uma Separação”.

Programa completo do Cine Conchas 2015:

25 de junho: “Kon Tiki – A Viagem Impossível”, de Joachim Rønning e Espen Sandberg
26 de junho: “As Vantagens de ser Invisível”, de Stephen Chbosky
27 de junho: “Como Treinares o teu Dragão 2”, de Dean DeBlois

2 de julho: “Duas Vidas”, de Georg Maas e Judith Kaufmann
3 de julho: “Kingsman: Serviços Secretos”, de Matthew Vaughn
4 de julho: “Que Mal Fiz Eu a Deus?”, de Philippe de Chauveron

9 de julho: “O Passado”, de Asghar Farhadi
10 de julho: “Whiplash”, de Damien Chazelle
11 de julho: “Home: A Minha Casa”, de Tim Johnson

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: socoelho@observador.pt