Logo Observador
Cubo de Rubik

As formas mais incríveis de resolver o Cubo de Rubik

157

O Cubo Mágico inventado em 1974 é, talvez, o maior símbolo dos anos 80. A sua resolução é difícil para a maioria, mas há quem consiga fazê-lo em 5 segundos, com os pés ou até com os olhos tapados.

Há quem consiga resolver o Cubo Mágico a uma velocidade estonteante.

AFP/Getty Images

O Cubo foi inventado pelo húngaro Ernö Rubik, em 1974. Rubik era professor de Arquitetura em Budapeste e procurava um modelo para explicar aos seus alunos a geometria tridimensional. Estaria longe de imaginar que a sua invenção se viria a tornar num brinquedo de massas — o mais vendido de sempre, com 350 milhões de unidades, tendo sido considerado “Brinquedo do Ano” em 1980 e 1981, pela associação britânica do setor.

O desafio de separar as seis cores das suas peças, deixando uma só cor em cada face do Cubo, é, já por si, difícil, e os menos perseverantes acabam por desistir. O próprio Rubik demorou cerca de um mês a resolvê-lo. Entre aqueles que conseguem dominar o “Cubo Mágico” e a ele dedicam muito treino, existem competições por todo o mundo e craques a fazer proezas incríveis. Exemplo disso é o português João Abreu, que resolveu o Cubo durante um salto em queda livre (em menos de 30 segundos).

Por cá, a comunidade portuguesa de cubing tem um site e um grupo no Facebook, e vai organizar o Campeonato de Portugal 2015 a 11 e 12 de julho, no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa. O campeonato obedece às regras da World Cube Association, o organismo que regula as provas em todo o mundo e valida os recordes.

Há dois meses, o recorde mundial para o Cubo em formato tradicional 3x3x3 foi batido por Collin Burns, um adolescente norte-americano de 17 anos que o resolveu em 5,25 segundos, tirando 0,3 segundos ao anterior recorde do holandês Mats Valk.

Se acha isto espetacular, veja estes recordes oficiais ainda mais surpreendentes:

Com uma mão: Feliks Zemdegs (Austrália) — 6,88 segundos

Com os pés: Gabriel Campanha (Brasil) — 25,14 segundos

Com os olhos tapados: Marcin Kowalczyk (Polónia) — 21,17 segundos

41 cubos (!) com os olhos tapados: Marcin Kowalczyk (Polónia) — 54,14 segundos

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Açores

O despertar da bela adormecida?

Maria João Avillez

E sobre isso, um véu de melancolia tão pesado e uma solidão tão desolada que moldaram os poetas, politicos e pintores que os Açores nos deram.