Demografia

Descubra o lugar que ocupa no mundo

1.134

Entre mais de 7 mil milhões de pessoas em todo o mundo era difícil descobrir qual o nosso lugar. Mas agora já não é assim: este site diz-lhe o que precisa de saber sobre a vida, e a morte.

Todos os dados são compilados de acordo com a colaboração de diversos países por todo o mundo

Jonathan Ferrey

Enquanto o Observador escrevia este texto Portugal tinha dez milhões, trezentos e sessenta e oito mil, setecentas e setenta e uma pessoas. Com umas quantas variações: umas pessoas nasciam, outras morriam e algumas emigravam. Esses dados em tempo real (e muitos outros), já nos são dados pelas duas grandes bases de dados da Fundação Francisco Manuel dos Santos, a Pordata e a Globalstat. Mas a realidade é apenas uma: somos muitos, mesmo muitos. E somos mais ainda se pensarmos que existem mais de 7 mil milhões de pessoas na Terra.

Com tanta gente, é difícil para qualquer um perceber o seu lugar no mundo. Há milhões e milhões de pessoas com a mesma incógnita. E foi a pensar nelas que nasceu o site Population.io.

É simples: quando entra na página, insira a sua data de nascimento completa, género o local onde reside. Enquanto isto, um gráfico avisa-o da evolução da população mundial e em que países acaba de nascer mais uma criança – e até se é menino ou menina. E depois o mundo desvenda-se perante os seus olhos.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.06.39

Mas avancemos. Assim que inserir os seus dados vai poder saber que percentagem de população no seu país é mais velha e mais nova. Depois, vai ficar informado sobre os grandes marcos em que vai participar: por exemplo, se inserir a data “2 de junho de 1994” e disser que é uma mulher de Portugal, o site diz-lhe que a 25 de maio de 2018 vai ser a pessoa número 3000000000 a estar viva.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.07.39

Este é apenas um dos momentos em que vai estar presente na evolução demográfica da Terra: todos os outros são mostrados numa linha do tempo um pouco mais abaixo, entre um gráfico de distribuição das idades (nacional e mundial) e um outro que mostra os momentos do passado em que a sua presença já foi preponderante.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.08.26

Se estes dados o fizerem sentir único, logo a seguir o site acaba com essa ilusão: existem centenas de milhares de pessoas que partilham as mesmas características que o leitor, tanto no seu país como em todo o mundo. Pode saber exatamente quantas e até quais delas nasceram ao mesmo tempo. Mais um pouco de scroll e terá a oportunidade de descobrir quais os países onde essas pessoas estão.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.09.00

Nesta fase, o site também já o informou da data provável da sua morte (porque faz parte da vida), de acordo com o país em que está. Mas um mapa mundi vai permitir-lhe compará-la com o que acontece em todos os outros países do mundo.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.09.47

E a seguir esta mas um gráfico, com informações sobre a distribuição da mortalidade na Terra e no seu país.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.10.44

E como o futuro também importa, as últimas três informações atenuam a dura realidade de se ter deparado com uma data para morrer. Dir-lhe-ão quantos anos ainda tem pela frente tendo em conta a esperança média de vida mundial e como ela pode aumentar nos próximos anos.

Screen Shot 2015-08-05 at 01.11.21

Todos estes dados foram compilados no âmbito do Projeto de População Mundial, que tem em conta as informações de várias instituições em todo o mundo dedicadas ao estudo da demografia. E todos os números a que tiver acesso durante esta experiência são fornecidos em tempo real.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Ter de mudar quase tudo, e não querer mudar nada

José Manuel Fernandes
440

Somos um país cada vez mais envelhecido e isso tem e terá imensas consequências no nosso futuro - e também na forma como vivemos a velhice. Mas enquanto houver geringonça ninguém discutirá o problema.

Demografia

Longevidade e envelhecimento

Manuel Villaverde Cabral
235

A bênção do aumento da esperança de vida exige políticas públicas de apoio a um envelhecimento activo e saudável, o que implica uma reestruturação radical do processo de educação-trabalho-reforma.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site