Governo

Governo PS. Os 8 repetentes

285

António Costa chamou para o Governo vários políticos experientes. Uns já foram ministros de Sócrates e Guterres, outros apenas secretários de Estado. São estes os repetentes.

TIAGO PETINGA/LUSA

Autor
  • Liliana Valente

É um Governo de políticos, pessoas experientes em cargos de Governo e que serão obrigados a muito diálogo com a oposição. Eis os 8 pesos pesados que seguiram na lista que esta terça-feira Costa entregou ao Presidente da República, avançada pela TSF:

  • Ministro-adjunto

Eduardo Cabrita – É conhecido por ter sido na última legislatura o presidente da Comissão parlamentar mais disputada politicamente, a de Orçamento e Finanças. Mas Eduardo Cabrita, parlamentar experiente, já teve também a sua passagem por um Governo. Foi secretário de Estado Adjunto da Justiça, no Governo de António Guterres, quanto António Costa foi ministros Depois, foi secretário de Estado da Administração Local no Governo de José Sócrates, trabalhando na dependência direta de Costa, nos dois anos em que este foi ministro da Administração Interna.

  • Segurança Social

José António Vieira da Silva – Já foi ministro tanto da Economia como da Segurança Social. Foi com ele no Ministério da Segurança Social que foi feita a reforma do sistema – que introduziu o fator de sustentabilidade – que é ainda hoje empunhada pelos socialistas como exemplo. José António Vieira da Silva esteve no grupo de economistas que preparou o cenário macroeconómico que serviu de base ao programa de Governo. Além disso, como político, é consensual à esquerda, mas duro na negociação. Foi, aliás, Vieira da Silva que coordenou a bancada do PS na sombra no final da legislatura anterior.

  • Presidência e Modernização Administrativa

Maria Manuel Leitão Marques – Foi outra das promessas do líder do PS: o de dar força de ministério à Modernização Administrativa. Desde que Costa falou deste ministério que deu a indicação que seria uma pasta a entregar a Maria Leitão Marques, que será assim também o rosto do Governo na PCM. A deputada foi a coordenadora do documento do PS “Agenda para a Década”, um dos documentos pilares do programa de Governo. A acompanhá-la seguirá outra mulher de confiança de António Costa, Graça Fonseca, para secretária de Estado. Graça Fonseca era vereadora na Câmara de Lisboa e foi com Costa para o secretariado do PS.

  • Planeamento e Infraestruturas

Pedro Marques – Saiu do Parlamento ainda durante a anterior legislatura. Era tido como um dos nomes fortes para a Segurança Social uma vez que cresceu enquanto político como secretário de Estado quando Vieira da Silva era ministro. Técnico reconhecido, acabou por ir trabalhar para uma empresa privada. Fez parte do grupo de deputados socialistas que fizeram da Comissão de Orçamento e Finanças um campo de batalha político ao atual Executivo.

  • Ministro dos Negócios Estrangeiros

Augusto Santos Silva – Está na lista dos homens que mais vezes foi ministro. Já foi ministro da Educação e da Cultura do Governo de António Guterres e depois passou por outras duas pastas nos governos de José Sócrates: primeiro foi ministro dos Assuntos Parlamentares e depois ministro da Defesa. Fez parte do núcleo duro de José Sócrates no Executivo e era um dos homens que lhe dava peso político. Terá um papel semelhante na equipa de António Costa. Dada a experiência governativa, Santos Silva terá papel central nas negociações com os parceiros europeus.

  • Ciência Superior

Manuel Heitor – É um dos antigos “pupilos” de Mariano Gago a seguir as pisadas no Ensino Superior. Manuel Heitor era um dos ministeriáveis a ter em conta, sobretudo por ter sido ele o principal contribuidor para o programa nessa área. É professor catedrático do Instituto Superior Técnico e foi secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. É formado em Engenharia Mecânica e doutorado, pela Universidade de Londres, em Mecânica dos Fluidos e Combustão.

  • Ministra do Mar

Ana Paula Vitorino – Foi a secretária de Estado dos Transportes responsável pelo desenho do projeto da rede de alta velocidade (TGV) do governo de Sócrates. O seu nome ficou ainda ligado a um outro negócio polémico que caiu, o prolongamento sem concurso público do contrato de concessão da Liscont com a duplicação do terminal de contentores de Alcântara. Ao contrário do seu ministro, Ana Paula Vitorino saiu bem do processo Face Oculta por ter resistido a pressões alegadamente feitas por Armando Vara para demitir o então presidente da Refer, que seria um obstáculo aos negócios do Manuel Godinho. Nos quatro anos em funções, nomeou um número recorde de mulheres para as administrações das empresas públicas que tutelava. Ana Paula Vitorino é especialista em transportes e deverá voltar a assumir um dossiê que lhe é caro: o dos portos. Vitorino foi a deputada socialista que deu a cara ao pedido à Parpública para não fechar a venda da TAP, já com o executivo em funções. Mas este assunto delicado deverá ficar com outro ministro.

  • Ministro da Agricultura

Capoulas Santos – É sinónimo de agricultura no PS. Seria apenas mais uma vez que exerceria o cargo. A possibilidade de voltar a fazer parte de um Governo cresceu quando Costa o chamou para cabeça de lista por Évora. Nos últimos anos foi eurodeputado e um dos maiores especialistas europeus na Política Agrícola Comum.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site