Logo Observador
Turismo

Alentejo está entre os melhores locais do mundo para uma escapadinha

6.756

A região portuguesa surge entre os 52 melhores destinos do mundo para passar um fim de semana. Quem o diz é a prestigiada publicação Lonely Planet Traveller na edição de fevereiro.

Na imagem vê-se Evoramonte

Cover/Getty Images

Que o Alentejo encantou o mundo já todos (ou quase todos) sabíamos: 2014 foi um ano em grande para a região que arrecadou prémios atrás de prémios, desde ter sido eleita a “melhor região vinícola do mundo” a ser descrita como um dos 21 “melhores destinos para se visitar” — para não falar do cante alentejano já considerado Património Imaterial da Humanidade (palavra da UNESCO).

De lá para cá, a fama não esmoreceu e exemplo disso é o destaque que a conceituada revista Lonely Planet Traveller dá à terra de montado, região de sobreiros e azinheiras, segundo um comunicado enviado às redações pelo Turismo do Alentejo.

Na edição de fevereiro, a publicação dá conta daqueles que diz ser os “52 melhores locais do mundo para passar um fim de semana”. E entre propostas como conhecer o sul de França à boleia de um Citroën 2 CV ou dar um mergulho em Dubrovnik, na Croácia, está o muito português Alentejo a marcar lugar na 25º posição do ranking.

Considerando os limites geográficos da região, a revista escreve sobre a cidade de Elvas, que leva o estatuto de Património da Humanidade, e suas fortificações, sem esquecer as referências à brancura de Castelo de Vide e aos cenários rochosos de Marvão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Lisboa

Serão os Tuk-Tuk o problema?

António Marques Vidal
132

O governo e as autarquias ainda não estão preparados para pensar e lidar com a rápida evolução da oferta das empresas de animação turística, o que os leva a tomar medidas contrárias ao desenvolvimento

Prostituição

Um trabalho para as filhas dos outros

Pedro Vaz Patto
303

Quando se fala na legalização da prostituição como se de um qualquer outro trabalho se tratasse (o “trabalho sexual”), ninguém certamente pensa nas suas filhas, pensa sempre nas filhas dos outros.