Logo Observador
Lifestyle

Cinco remédios caseiros que fazem maravilhas

205

As mezinhas existem desde que o mundo é mundo e, tal como os ditados, têm o seu fundo de verdade. Agora que as suas vantagens foram comprovadas pela ciência, é começar (ou continuar) a fazê-las.

Se não gostar de gengibre, há quem diga que o mel também melhora a qualidade do sono.

Foxys_forest_manufacture/iStock

Autor
  • Carolina Santos

A medicina nem sempre existiu tal como a conhecemos hoje, mas sempre existiram doenças. Sem poderem recorrer a fármacos, os nossos antepassados tiveram de curar-se da melhor maneira que conseguiam, muitas vezes servindo-se daquilo que os rodeava. Assim nasceram os remédios caseiros – medicamentos não convencionais usados para tratar doenças e amenizar sintomas, feitos de plantas, por exemplo — que passaram de boca em boca (se não resultassem provavelmente não teriam passado), até chegarem aos nossos dias.

Segundo o National Institute of Health (NIH), nos Estados Unidos as pessoas estão cada vez mais a virar-se para medicinas complementares e não convencionais para tratarem as suas doenças — uma em cada três recorre a medicinas alternativas. Em Portugal ainda não há um número apurado mas a verdade é que também por cá a medicina chinesa, por exemplo, é cada vez mais procurada.

Apesar de os remédios caseiros não terem contra-indicações, a verdade é que nem todos funcionam. Para separar o trigo do joio, a Bustle fez uma lista de sete remédios caseiros apoiados pela ciência. Na lista abaixo destacamos cinco, entre eles alguns clássicos.

1. Combater a náusea com gengibre

Segundo estudos da Universidade de Exeter, comer gengibre (e não bebê-lo em chá), é remédio santo para se livrar da sensação de náusea e ainda ajuda a prevenir o vómito. Só não sabemos se funciona na ressaca.

2. Tomar magnésio para dormir melhor

A falta de magnésio no organismo tem vindo a ser ligada a distúrbios do sono e estudos publicados no Journal of Research in Medical Science mostram que os suplementos de magnésio ajudam a reduzir os sintomas da insónia. Em declarações à Bustle, Carolyn Dean diz que “o magnésio é conhecido como o mineral anti-stress”, acrescentando que “ajuda a relaxar os músculos e age como uma ajuda ao sono”.

3. Baixar a febre com um banho

A febre é alvo de muitas mezinhas. Esta põe toda a fé nos banhos que, segundo um estudo publicado no Journal of Family Medicine and Primary Care, são importantes para conter a subida do termómetro. O segredo? A temperatura da água, que deverá ser tépida e que tem o poder de fazer a temperatura corporal descer um ou dois graus em 45 minutos.

4. Chá de camomila para a ansiedade

É um clássico e um dos remédios caseiros mais utilizados, atrevemo-nos a dizer, antes de exames de condução ou de apresentações. A camomila não tem efeitos secundários e muitos estudos mostram que é uma planta com efeitos sedativos leves mas eficientes a tratar a ansiedade.

5. Chá de limão e mel para a garganta

Por fim, o clássico dos clássicos. Quem nunca recorreu a este chá que atire a primeira pedra – conta se tiver adicionado aguardante ou bagaço. Tanto o limão como o mel são antimicrobianos, por isso ao primeiro sinal de uma constipação é apostar nesta combinação. A ciência apoia-a, pelo menos é o que diz um estudo publicado no Pediatrics: duas colheres de chá de mel não só amaciam a garganta como reduzem a tosse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Lisboa em Agosto -- Parte 3

Lucy Pepper

Continua a saga em banda desenhada da nova vida que o turismo trouxe a Lisboa. As coisas que desapareciam existem agora em abundância.