Mundo

Em busca do tesouro perdido – na mansão de Pablo Escobar

Um casal adquiriu a antiga propriedade de Pablo Escobar em Miami e quer demoli-la. Mas, antes, está a passar a casa a pente fino para descobrir bens esquecidos do narcotraficante mais famoso do mundo.

AFP/Getty Images

A mansão em Miami que pertencia ao narcotraficante mais famoso do mundo, Pablo Escobar, tem sido palco de uma busca incessante. Objetivo? Encontrar um possível tesouro deixado para trás.

Como conta o ABC espanhol, estão a ser utilizadas picaretas, martelos, pás, bem como detetores de metal e um radar ultrassensível para passar a pente fino a casa que será demolida esta terça-feira. Os atuais donos da propriedade querem demoli-la, mas antes pretendem confirmar se não existem alguns objetos de valor esquecidos.

casa pablo escobar

A casa, construída em 1948, pertence a uma quinta com quase 700 metros quadrados e contém quatro quartos, seis casa de banho em dois andares, uma garagem e uma piscina.

Visto que o famoso chefe do cartel colombiano de Medellin chegou a ser considerado um dos homens mais ricos do mundo, e tendo em conta que era prática comum dos barões da droga esconderem a sua fortuna, não seria de admirar que a busca desse frutos. Até agora, diz o ABC, foi apenas encontrado um pacote contendo o que parece ser cocaína.

A casa, construída em 1948, pertence a uma quinta com quase 700 metros quadrados e contém quatro quartos, seis casa de banho em dois andares, uma garagem e uma piscina. No entanto, e depois de ter sido abandonada há anos, a propriedade encontra-se deteriorada, preenchida com ‘grafittis’ e repleta de escombros.

Na altura do apogeu de narcotraficantes como Escobar, durante os anos 80, Tom Cash era o responsável da DEA, a agência de combate ao tráfico de drogas americano, pela região da Florida e explica ao ABC que nessa época os líderes dos cartéis ganhavam tanto dinheiro que isso tornava-se num problema: “Não o podiam comer, não o podia beber, por isso tinham que o investir. E que melhor sítio para investir do que Miami?”

No entanto, o antigo agente admite a possibilidade de existir algo de valor na casa. Isto porque, segundo explica, era muitos os traficantes que escondiam as suas receitas atrás das paredes ou debaixo do chão de suas propriedades dando até o exemplo de como, em 1990, a DEA encontrou nada mais nada menos do que 14 milhões de dólares (quase 13 milhões de euros) em notas atrás de uma parede de uma casa no Porto Rico. No entanto Cash aponta um problema: é que muitas vezes as pessoas “que esconderam o dinheiro foram assassinadas, de modo que ninguém sabe onde foi parar” as respetivas fortunas.

Os atuais donos da casa são o empresário francês Christian de Berdouare e a sua mulher, a jornalista Jennifer Valoppi. Em 2014 o casal adquiriu a propriedade por 10 milhões de dólares (mais de 9 milhões de euros) a um advogado que, por sua vez, tinha comprado a casa ao governo por pouco mais de um milhão de dólares (pouco mais de 900 mil euros).

Com o objetivo de destruir a casa de uma pessoa “muito má” para expulsar “a energia negativa”, o casal tem a noção que a destruição das paredes pode revelar bens valiosos ou, uma surpresa menos agradável.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site