Logo Observador
Crise dos Refugiados

“Na Alemanha não se dão palmadas no traseiro das mulheres”. O novo guia para imigrantes

1.221

Uma nova aplicação na Alemanha serve de guia para os imigrantes que chegam ao país. Entre outras coisas, explica-se que na Alemanha "não se dão palmadas no traseiro das mulheres".

O guia esclarece que a roupa da mulher não tem nada a ver com a sua abertura sexual, especificando-se igualmente que as mini-saias, salto altos ou a maquilhagem não devem ser entendidos como um "convite" aos homens

ankommenapp

A Alemanha tem sido um dos destinos de eleição para a maioria dos refugiados que têm chegado à Europa, naquela que é a maior vaga de imigração desde a Segunda Guerra Mundial. Por isso, foi lançada uma aplicação que serve de guia de comportamento aos migrantes que cheguem ao território germânico.

Por exemplo, explica-se que na Alemanha quando duas pessoas se cumprimentam dá-se os bons dias e olha-se nos olhos. Para além disso, não se dão palmadas no traseiro das mulheres e tanto homens como mulheres podem escolher livremente com quem formam casal ou que religião praticam.

Esta curiosa aplicação que, como muitos defendem, é necessária para conter um possível choque cultural num país que já recebeu mais de um milhão de refugiados, foi criada pelo Gabinete Federal de Migração e Refugiados, pelo Goethe Institut, pelo Gabinete Federal de Emprego e pela Radiotelevisão Bávara, dá conta o El Mundo.

aplicação alemã que serve de guia aos imigrantes

“Na Alemanha, os conflitos não se solucionam com violência”. (ankommenapp)

O guia esclarece também que a roupa da mulher não tem nada a ver com a sua abertura sexual – este tipo de indicações ganharam particular importância depois das centenas de agressões sexuais denunciadas durante a passagem de ano na cidade de Colónia, algumas delas, alegadamente, protagonizadas por imigrantes – especificando-se que as mini-saias, salto altos ou a maquilhagem não devem ser entendidos como um “convite” aos homens e que tanto mulheres como homens escolhem livremente com quem querem casar ou manter uma relação sexual.

Para além destas lições concretas, a aplicação, que está disponível gratuitamente e com versões em árabe, inglês, francês ou alemão, descreve os valores, costumes e direitos da sociedade germânica, bem como um curso básico de alemão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

O respeitinho é muito bonito, mas pouco eficaz

Alberto Gonçalves
211

É injusto generalizar? Com certeza. Mas a aversão a generalizações, ou o respeito trémulo pelo islão, não tem corrido bem. Quando o resultado da reverência é este, talvez valha a pena tentar a afronta

Venezuela

O drama da comunidade portuguesa na Venezuela

Daniel Bastos

A falta de segurança e o caminho que a Venezuela parece seguir rumo ao abismo estão a levar muitos emigrantes a regressarem para Portugal, sendo já notório que há cada vez mais a voltarem à Madeira.

Família

Guerra e Paz

Margarida Alvim

Há muitas famílias assim. Conjuntos de pessoas que vivem debaixo do mesmo tecto. Os pais sabem de todos, mas cada irmão sabe de si. A razão só pode ser uma: falta de confiança. E falta de amizade.

Catolicismo

Medjugorje: solução à vista?

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Para um cristão a investigação sobre as supostas aparições de Medjugorge faz sentido, pois deve conhecer a solidez das suas convicções e estar preparado para responder a quem lhe pedir razão da espera

Terrorismo

O respeitinho é muito bonito, mas pouco eficaz

Alberto Gonçalves
211

É injusto generalizar? Com certeza. Mas a aversão a generalizações, ou o respeito trémulo pelo islão, não tem corrido bem. Quando o resultado da reverência é este, talvez valha a pena tentar a afronta