Logo Observador
Crise dos Refugiados

“Na Alemanha não se dão palmadas no traseiro das mulheres”. O novo guia para imigrantes

1.221

Uma nova aplicação na Alemanha serve de guia para os imigrantes que chegam ao país. Entre outras coisas, explica-se que na Alemanha "não se dão palmadas no traseiro das mulheres".

O guia esclarece que a roupa da mulher não tem nada a ver com a sua abertura sexual, especificando-se igualmente que as mini-saias, salto altos ou a maquilhagem não devem ser entendidos como um "convite" aos homens

ankommenapp

A Alemanha tem sido um dos destinos de eleição para a maioria dos refugiados que têm chegado à Europa, naquela que é a maior vaga de imigração desde a Segunda Guerra Mundial. Por isso, foi lançada uma aplicação que serve de guia de comportamento aos migrantes que cheguem ao território germânico.

Por exemplo, explica-se que na Alemanha quando duas pessoas se cumprimentam dá-se os bons dias e olha-se nos olhos. Para além disso, não se dão palmadas no traseiro das mulheres e tanto homens como mulheres podem escolher livremente com quem formam casal ou que religião praticam.

Esta curiosa aplicação que, como muitos defendem, é necessária para conter um possível choque cultural num país que já recebeu mais de um milhão de refugiados, foi criada pelo Gabinete Federal de Migração e Refugiados, pelo Goethe Institut, pelo Gabinete Federal de Emprego e pela Radiotelevisão Bávara, dá conta o El Mundo.

aplicação alemã que serve de guia aos imigrantes

“Na Alemanha, os conflitos não se solucionam com violência”. (ankommenapp)

O guia esclarece também que a roupa da mulher não tem nada a ver com a sua abertura sexual – este tipo de indicações ganharam particular importância depois das centenas de agressões sexuais denunciadas durante a passagem de ano na cidade de Colónia, algumas delas, alegadamente, protagonizadas por imigrantes – especificando-se que as mini-saias, salto altos ou a maquilhagem não devem ser entendidos como um “convite” aos homens e que tanto mulheres como homens escolhem livremente com quem querem casar ou manter uma relação sexual.

Para além destas lições concretas, a aplicação, que está disponível gratuitamente e com versões em árabe, inglês, francês ou alemão, descreve os valores, costumes e direitos da sociedade germânica, bem como um curso básico de alemão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crise dos Refugiados

Deus nasceu no exílio!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
479

Segundo o relatório, para 2015, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) há, no mundo inteiro, 65,3 milhões de refugiados. “Se fossem um país, seriam o 21º maior do mundo”.

Brexit

Não é só a Europa, é a democracia

Rui Ramos
319

As democracias do pós-guerra são os melhores regimes que a Europa alguma vez teve, e a União Europeia a melhor forma de os garantir. É tudo isso que está em causa, e não apenas no referendo britânico.