Logo Observador
Educação

FFMS: “Chumbar não está associado a um ganho de aprendizagem”

720

Relatório da Fundação Francisco Manuel dos Santos mostra que a maioria dos alunos que chumba num ano não melhora o aproveitamento no ano seguinte. Portugal é dos países da Europa onde mais se chumba.

Portugal é um dos países onde mais se chumba até ao sexta ano

MARIO CALDEIRA/LUSA

“Portugal é um dos países da Europa onde mais se chumba”, disse à TSF Mónica Vieira, coordenadora de conteúdos da Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS), com base num estudo que será discutido na próxima segunda-feira, no Conselho Nacional de Educação (CNE). “Portugal destaca-se também pela questão da retenção precoce, ou seja, é um dos países onde mais se chumba até ao sexto ano.”

Aos países com maiores chumbos juntam-se Espanha, França, Holanda e Luxemburgo. Mas em todos os países visados neste relatório “chumbar não está associado a um ganho de aprendizagem”, referiu Mónica Vieira. “Todos os alunos que tiveram um passado de retenção têm em média piores resultados.”

Especificamente para Portugal, a coordenadora de conteúdos disse que “apenas 14% dos alunos que chumba mostra sinais de recuperação”, isto pelo menos tendo em conta a análise que foi feita pelos investigadores.

Estes e outros resultados serão discutidos no Fórum AQeduto 2 – “Chumbar melhora as aprendizagens?” – no dia 25 de janeiro, pelas 18 horas, no auditório do Conselho Nacional de Educação. O objetivo deste estudo, que surge da parceria entre a FFMS e o CNE, é explicar a variação dos resultados dos alunos portugueses nos testes internacionais PISA, da responsabilidade da OCDE.

Outros dos estudos que a FFMS está a desenvolver e que espera apresentar este ano é a comparação dos exames entre Portugal e doze outros países, abordando temas como data de realização, o objetivo, função no sistema educativo ou impacto na vida escolar do aluno.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt
Pessoas

Os mortos e os vivos

Maria João Avillez
495

Adivinho a comiseração e o riso alarve de que serei alvo por rematar este texto com a história de um Pai Nosso rezado no final de uma cerimónia não religiosa.

Global Shapers

Stress: o último tabu do campus

Mariana Melo Egídio
1.759

Cabe-nos alertar os alunos que é importante saber lidar com a frustração e com o erro e que é essencial saber equilibrar o estudo e o resto da vida – sob pena de parecer que nada mais existe.

Educação

Sai no exame?

Alexandre Homem Cristo
1.644

Se não se libertar o ensino secundário do acesso ao ensino superior, não haverá autonomia escolar que resista. Nem inovação pedagógica. E muito menos aquisição das ditas competências para o século XXI

Venezuela

O drama da comunidade portuguesa na Venezuela

Daniel Bastos

A falta de segurança e o caminho que a Venezuela parece seguir rumo ao abismo estão a levar muitos emigrantes a regressarem para Portugal, sendo já notório que há cada vez mais a voltarem à Madeira.

Família

Guerra e Paz

Margarida Alvim

Há muitas famílias assim. Conjuntos de pessoas que vivem debaixo do mesmo tecto. Os pais sabem de todos, mas cada irmão sabe de si. A razão só pode ser uma: falta de confiança. E falta de amizade.

Catolicismo

Medjugorje: solução à vista?

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Para um cristão a investigação sobre as supostas aparições de Medjugorge faz sentido, pois deve conhecer a solidez das suas convicções e estar preparado para responder a quem lhe pedir razão da espera

Terrorismo

O respeitinho é muito bonito, mas pouco eficaz

Alberto Gonçalves
211

É injusto generalizar? Com certeza. Mas a aversão a generalizações, ou o respeito trémulo pelo islão, não tem corrido bem. Quando o resultado da reverência é este, talvez valha a pena tentar a afronta