Logo Observador
Óbito

Morreu Umberto Eco

6.477

O escritor italiano Umberto Eco morreu esta sexta-feira, em Milão. Tinha 84 anos.

MIGUEL MEDINA

Autores
  • Elsa Araújo Rodrigues
  • Agência Lusa

Umberto Eco, o conhecido escritor, filósofo e ensaísta italiano morreu esta sexta-feira aos 84 anos. O escritor faleceu às 22h30 (hora italiana), na sua casa de Milão. A causa da morte ainda não foi divulgada.

A morte foi comunicada pela família ao jornal La Repubblica, a quem deu a última entrevista a 24 de novembro de 2015.

Umberto Eco nasceu a 5 de janeiro de 1932, em Alessandria, no noroeste de Itália, na região de Piemonte. Para além de escritor, Eco foi também filósofo e professor de Semiótica. Em 1988 fundou o Departamento de Comunicação da Universidade de San Marino. E desde 2008 que era professor jubilado e presidente da Escola Superior de Estudos Humanísticos da Universidade de Bolonha. Deu também aulas em muitas universidades pelo mundo, como Yale, Harvard, e no Collège de France.

O escritor, também conhecido pelas opiniões polémicas, não era grande fã das redes sociais. “As redes sociais têm gerado uma invasão de imbecis, a quem dão o direito de falar a legiões de imbecis. Antes apenas falavam no bar depois de um copo de vinho, sem prejudicar a comunidade e agora têm o mesmo direito de falar que prémio Nobel. É a invasão dos tolos “, disse Umberto Eco citado pelo El Mundo, sobre esta realidade social numa conferência em Turim, no verão do ano passado.

Umberto Eco estreou-se nos livros de ficção em 1980 com O Nome da Rosa, que lhe valeu o Prémio Strega, em 1981. A este livro, que foi traduzido em várias línguas, sucederam-se outros títulos, como O Pêndulo de Foucault, A ilha do dia antes, Baudolino, A misteriosa chama da rainha Loana e O cemitério de Praga.

Para além dos romances, Eco publicou também diversos ensaios, como O signo ou Os limites da interpretação e organizou obras como História da beleza, História do feio e História das terras e dos lugares lendários. É também conhecido pelo clássico da pedagogia, Como se faz uma tese em Ciências Humanas.

O seu último livro, Número Zero, foi traduzido por Jorge Vaz de Carvalho e editado pela Gradiva. Na obra, o escritor questiona o jornalismo e a sua relação com a Internet como contou em entrevista à Globo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Prostituição

Um trabalho para as filhas dos outros

Pedro Vaz Patto
303

Quando se fala na legalização da prostituição como se de um qualquer outro trabalho se tratasse (o “trabalho sexual”), ninguém certamente pensa nas suas filhas, pensa sempre nas filhas dos outros.