Angola

Tribunal de Luanda dispensa declarantes e avança para alegações no caso dos ativistas

O tribunal de Luanda que julga os ativistas acusados de preparem uma rebelião decidiu hoje prescindir de ouvir dezenas de declarantes arrolados, dando por concluída a fase de produção de prova, agendando alegações para 14 de março.

Joost De Raeymaeker/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O tribunal de Luanda que julga os ativistas acusados de preparem uma rebelião decidiu hoje prescindir de ouvir dezenas de declarantes arrolados, dando por concluída a fase de produção de prova, agendando alegações para 14 de março.

A decisão foi anunciada pelo juiz da causa, Januário Domingos, após nova sessão em que nenhum dos declarantes que integra a lista do suposto governo de salvação nacional – utilizado como prova contra os 17 ativistas em julgamento – ter comparecido em tribunal, para prestar declarações.

“Prescindimos das declarações e não dos declarantes”, disse o juiz, dando provimento a recursos da defesa e do Ministério Público para “acelerar” o julgamento, que se arrasta em sucessivos adiamentos desde novembro, anunciando depois a instauração de processos-crime, por desobediência, a todos os mais de 20 elementos que foram “legalmente notificados” e não compareceram.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site