Ténis de Mesa

Rio2016. Fu Yu, Freitas e Apolónia apuram-se para os singulares de ténis de mesa

Portugal assegurou três vagas nos torneios de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos do Rio2016, através de Fu Yu, em femininos, e Marcos Freitas e Tiago Apolónia, em masculinos.

Autor
  • Agência Lusa

Portugal assegurou esta quinta-feira três vagas nos torneios de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos do Rio2016, através de Fu Yu, em femininos, e Marcos Freitas e Tiago Apolónia, em masculinos.

No torneio de qualificação olímpica europeia, que está a decorrer em Halmstad, Suécia, o destaque é mesmo a qualificação de Fu Yu, já que tanto Freitas como Apolónia sabiam que acabariam por ser selecionados através do ‘ranking’ continental, em última análise, e que a federação portuguesa da modalidade já tinha definido que os ia convocar.

Nas decisivas provas desta quinta-feira também competiram Jieni Shao, nos femininos, e João Geraldo, nos masculinos, que não conseguiram uma das oito vagas em disputa em cada setor, mas seguem para um torneio de repescagem, sexta-feira e sábado, por mais quatro vagas (2+2) a atribuir em Halmstad.

Fu Yu teve uma caminhada ‘tranquila’, como se pode avaliar pelos números das suas vitórias: 4-0 à croata Ivana Tubikanec, 4-0 à polaca Natalia Partyka e finalmente 4-1 à romena Daniela Monteiro Dodean – curiosamente, a mulher do internacional português João Monteiro, ausente por lesão e substituído por Geraldo.

Marcos Freitas, um dos melhores jogadores da Europa, ganhou ao checo Dimitri Prokopcov (4-2), ao romeno Ovidiu Ionescu (4-3) e ao turco Li Ahmet (4-1), assegurando aqui o ‘bilhete’ para o Rio de Janeiro.

Mais difícil foi a caminhada de Tiago Apolónia, que superou o ucraniano Gregory Menge (4-0), o croata Ruiwu Tam (4-3) e ainda o inglês Liam Pitchford (4-3).

Geraldo, que agarrou muito bem a vaga aberta pela ausência de Monteiro, superou um adversário grego e um esloveno, antes de cair frente ao croata Bojan Tokic, por 4-1. Jeni Shao ainda ganhou um jogo, a uma jogadora croata, para depois perder com a alemã Han Ying, por 4-1.

Portugal terá um quarto elemento nos Jogos Olímpicos, para completar a equipa masculina, que se apurará pelo ‘ranking’ de países – a equipa lusa é a quinta do mundo, segunda europeia, e somente está em causa se será cabeça de série ou não.

Com Marcos Freitas (15.º do mundo) e Tiago Apolónia (20.º), a federação lusa terá então de definir quem é o terceiro elemento efetivo, entre Monteiro (31.º) e Geraldo (75.º).

No próximo ‘ranking’ individual, em maio, as previsíveis vagas de Freitas e Apolónia beneficiarão outros jogadores.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site