Logo Observador
Saúde

Como criar valor no setor da saúde através da gestão

A aplicação da metodologia de gestão Value Creation Wheel permite às startups no setor da saúde encontrarem mercados e criar valor, uma das conclusões da conferência "Criar Valor na Saúde".

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Autor
  • Elsa Araújo Rodrigues
Mais sobre

“O problema das startups na área da saúde é que, depois do lançamento, precisam de muito investimento. E é nesta altura que muitas destas empresas morrem”, afirmou Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, durante a intervenção que fez num debate sobre a importância da inovação no setor da saúde, que se realizou esta sexta-feira no auditório da Reitoria da Universidade Nova, no Campus de Campolide, em Lisboa.

vcw conference, caldeira cabral

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, considera que “é necessário desenvolver um ecossistema de suporte às startups”

Uma forma de conseguir angariar o investimento de que essas ideias precisam é através do recurso à metodologia de gestão Value Creation Wheel, que, quando aplicada a ideias de negócio e patentes nesta área, pode ajudar muitos empreendedores a encontrar mercado e a rentabilizar as suas propostas.

O método desenvolvido por Luís Filipe Lages, professor catedrático da Nova SBE, adota processos inéditos para identificar, analisar e solucionar problemas com o objetivo de responder aos desafios da inovação em diferentes áreas, nas quais ajuda a criar valor.

A Value Creation Wheel (VCW) permite criar ideias, definir critérios de seleção para resolver problemas e apresenta soluções concretas. Parte do princípio “não vamos re-inventar a roda” e baseia-se na premissa que quanto mais livre for o processo criativo, maior será o número de possíveis soluções encontradas para o problema.

A inovação metodológica para lidar como a resolução de problemas — como encontrar mercados para patentes — recorrendo à estratégia de quem adota uma nova tecnologia depois de esta dar provas (late-adopters) foi também reconhecida pelo Wall Street Journal. Partindo da ideia “não é preciso arranjar o que não está avariado”, o processo criativo da VCW permite considerar um vasto número de premissas (no caso, que levam alguém a esperar pela maturação de um produto) como uma forma de criar valor e resolver desafios.

Na área da saúde, um dos principais desafios das startups é a entrada no mercado. Uma dificuldade que também pode ser minimizada com o recurso à Healthcare City, uma incubadora de empresas de saúde, um projecto da Nova Medical School, explicou Nuno Carvalho, na conferência “Criar Valor na Saúde: Inovação, Transferência de Tecnologia e Internacionalização”.

vcw conference, nuno carvalho

Nuno Carvalho, líder executivo da Healthcare City, uma incubadora exclusivamente dedicada a ajudar as empresas na indústria de cuidados de saúde a crescer globalmente

O objetivo é o de “estabelecer Portugal como um local privilegiado para o empreendedorismo baseado em cuidados de saúde”, disse o líder executivo da Healthcare City. Um exemplo que ajuda à articulação entre o conhecimento desenvolvido nas universidades e o mundo empresarial. Para Daniel Traça, Dean da Nova SBE da Universidade Nova de Lisboa, essa ligação é especialmente importante na área da saúde, que em Portugal é um dos setores mais dinâmicos.

“O setor da saúde é o que produz mais pesquisa científica, mais patentes em Portugal” e aquele onde as “exportações cresceram exponencialmente, sem aumento proporcional dos recursos”, afirmou. “As universidades e as empresas têm que falar a mesma a língua”, reforçou Daniel Traça. A Value Creation Wheel é uma ferramenta metodológica que ajuda a transformar a inovação mais produtiva e ajuda a que esse diálogo se estabeleça. “Esta metodologia ajuda à inovação, pode levá-la muito longe, se for tratada de forma metódica”, concluiu.

vcw conference,

A conferência “Criar Valor na Saúde: Inovação, Transferência de Tecnologia e Internacionalização” decorreu no auditório da Reitoria da Universidade Nova, no Campus de Campolide, em Lisboa

Ao longo da conferência, foram dados exemplos práticos da relação bem-sucedida entre conhecimento e inovação com recurso à metodologia. Entre alguns casos de sucesso apresentados, está a Coimbra Genetics, uma empresa portuguesa que desenvolveu o software ELSIE, uma plataforma que ajuda os profissionais de saúde a fazer diagnósticos mais personalizados e prognósticos, com base na informação genética dos pacientes.

Outro dos casos apresentados foi o da Patient Innovation, uma rede social que permite aos pacientes e cuidadores partilhar as suas soluções para os seus problemas de saúde com outras pessoas. A plataforma permite a todos os que criaram uma forma inovadora de resolver um problema de saúde darem a conhecê-la a outras pessoas que também procurem uma resposta. O objetivo é o de permitir uma discussão mais direta de ideias, entre aqueles que mais sabem sobre as suas lutas diárias.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt