Nostalgia

Estes anúncios portugueses não seriam publicados em 2016

571

O arquivo do Diário de Lisboa está recheado de anúncios ricos em estereótipos, obsoletismo e opções gráficas de gosto duvidoso que vistos à luz dos dias de hoje são, no mínimo, curiosos.

Autor
  • Tiago Pais

Do romântico incurável que, entre juras de amor, promete à mulher comprar-lhe um frigorífico Kelvinator aos eficacíssimos adubos de baleia radioativa Henry Burnay, passando pela célebre bebida russa Wodka ou o tonificante vinho nutritivo de carne, o arquivo do Diário de Lisboa, disponível para consulta online através do site da Casa Comum, desenvolvido pela Fundação Mário Soares, guarda verdadeiras relíquias publicitárias de outros tempos.

Não se pense, contudo, que a esse estatuto de relíquia corresponde uma criatividade fora de série. Bem pelo contrário. Estes anúncios são relíquias, isso sim, pela sua raridade e porque nos dias que correm nunca veriam a luz do dia ou a tinta das impressoras, tal a obsolescência dos produtos que promovem ou os estereótipos utilizados para essa promoção. Mas é precisamente isso que os torna curiosos. Veja por si na fotogaleria, em cima.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site