David Neeleman

Portela+1: Aeroporto do Montijo “tem de ser aberto”, diz Neeleman

140

O administrador da TAP esteve na cimeira do Turismo onde falou nos desafios da empresa, mas também na necessidade de existirem "mais pistas e terminais" em Lisboa, para responder à procura.

© Hugo Amaral/Observador

O dono da TAP diz que a taxa de ocupação de hotéis em Lisboa não está a ser aproveitada ao máximo porque faltam “mais pistas”. David Neeleman esteve na II cimeira do Turismo para falar da transportadora aérea e a pedir para que sejam resolvidos os problemas, referindo-se às limitações físicas do aeroporto de Lisboa como “um gargalo”. A solução, diz o acionista da TAP, passa por “abrir mais espaço” e aponta para o “outro lado do rio”, para a base aérea do Montijo, afirmou, durante uma conversa conduzida por António Mexia, presidente da EDP.

David Neeleman foi claro: “Precisamos de mais pistas e de mais terminais. Temos um aeroporto que é perto, do outro lado da ponte, e que tem de ser aberto”.

“Tem de abrir mais espaço porque há muitas coisas que queremos e temos de fazer mas não vamos poder. Temos hotéis que, ainda em julho, tiveram ocupação de 80%. Podia ser de 90 ou 95″, argumentou Neeleman depois de António Mexia o ter questionado sobre a solução Portela+1.

Mexia ainda provocou o empresário norte-americano com a partilha do capital da TAP com o Estado. Como é gerir uma sociedade 50/50? “É bom”, foi a resposta do administrador da empresa: “Aprendi muito rápido que quem está em Portugal tem de trabalhar com o Governo, Não pode dizer ‘não, obrigado’“: “Chegámos a um ponto onde estamos ambos felizes”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt
Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

IPSS

Raríssimas: o Estado é parte do problema

Rui Ramos

Mais do que por uma “vida de luxo”, a direcção da Raríssimas foi atraída por uma “vida de Estado”. Libertar a sociedade deste Estado gordo e promíscuo seria um meio de a libertar das piores tentações.

Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Crianças

Há Natais e Natais...

Rute Agulhas

Pais, mães, avós e restante família alargada. Deixemos as crianças viver a magia do Natal. Acreditar, mesmo que seja a fingir, no Pai Natal e nas renas, e na fábrica de brinquedos, e nos duendes.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site