Orçamento do Estado

Centeno sobre o OE2017. “Vamos cumprir melhor que outros países”

Orçamento de Estado cumpre compromissos do programa de governo e as obrigações com a União Europeia. Centeno diz que "vamos cumprir melhor que outros e poder ser que se entretenham com outros países".

CARLOS SANTOS/LUSA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Orçamento de Estado (OE) para 2017 cumpre todos os compromissos assumidos no programa de governo e as obrigações de Portugal perante a União Europeia, disse este sábado o ministro das Finanças no Montijo.

“Penso que temos um OE que nos orgulha, que cumpre todos os compromissos do programa de governo e no quadro europeu – eu não preciso de dar lições de europeísmo ao PS, que é, na sua génese, na sua formação, um partido europeísta que cumpre seguramente todos os compromissos”, disse Mário Centeno, durante uma sessão de esclarecimento sobre o OE, para militantes socialistas do distrito de Setúbal.

“Vamos, também aí, mostrar à Europa – se calhar até vamos cumprir melhor os compromissos do que outros países e pode ser que depois se entretenham com outros países e não connosco – que também vencemos essa adversidade de, perante o governo do Partido Socialista, tantos terem feito tantas apreciações e qualificações tão despropositadas, quanto aos propósitos do governo liderado pelo primeiro-ministro António Costa”, acrescentou.

A par da confiança no cumprimento dos objetivos do OE para 2017, Mário Centeno destacou também a evolução positiva das contribuições para a Segurança Social, que, este ano, já aumentaram 5,1%, comparativamente com o ano passado.

“O orçamento foi construído para permitir o crescimento económico, o crescimento do emprego e a queda do desemprego, dois dos indicadores mais relevantes para o governo, que estavam no centro da nossa ação politica. E é sempre bom ver como os resultados confirmam essa ação política”, disse.

“E a verdade é que as receitas das contribuições que todos nós fazemos, enquanto trabalhadores, para a Segurança Social, estão a crescer 5,1%. Isto quer dizer que a massa salarial que os trabalhadores portugueses recebem todos os meses está a crescer 5,1% em relação ao passado”, acrescentou o ministro das Finanças.

Perante cerca de uma centena de militantes socialistas, Mário Centeno falou também das principais medidas previstas do OE para 2017, como o aumento já anunciado, de dez euros, nas pensões até 628 euros, defendeu que, em termos globais, não haverá nenhum agravamento da carga fiscal e reafirmou o empenhamento do governo na recuperação de rendimentos dos portugueses, a par da consolidação e sustentabilidade das contas públicas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site