Tecnologia

Microsoft leva o 3D a todos e apresenta um novo desktop cheio de novidades

No evento da Microsoft as novidades foram muitas. O destaque vai para o Surface Book e para o Surface Studio, o novo desktop com um ecrã de 28 polegadas.

Kiyoshi Ota/Bloomberg via Getty Images

Autor
  • Miguel Videira Rodrigues

Esta quarta-feira, a Microsoft mostrou ao público aquilo em que tem estado a trabalhar. A tecnologia 3D foi aperfeiçoada e vai estar disponível para todos os utilizadores de forma simples e intuitiva na nova versão do sistema operativo, o Windows 10 Creators Update. Os HoloLens (óculos de realidade aumentada) foram um ponto de destaque mas não a atração principal, sendo que esse momento ficou reservado para os novos dispositivos Surface Pro, Surface Book e o que recebeu mais aplausos por parte do público, o Surface Studio – o novo computador de secretária da marca, que parece ser um concorrente direto ao iMac.

O sistema operativo

A nova versão intitulada de Creators Update foca-se nas pessoas e na tecnologia 3D. O objetivo da Microsoft é que todos possam utilizar o 3D sem grandes complicações, enquanto interagem facilmente com outras pessoas.

De maneira a facilitar a interação, o Skype e a conta de email vão-se juntar, permitindo uma direta entre o utilizador e outros contactos, uma vez que deixa de precisar de trocar constantemente de aplicação.

Para completar a oferta, marcas como a Asus, Acer, Dell, Lenovo e HP vão ter diversos dispositivos para uma melhor interação com as funcionalidades 3D disponíveis a partir dos $299.

Surface Studio e Surface Dial

Apresentados em conjunto, o Surface Studio e o Surface Dial são dois dispositivos que se completam. O Studio surge com um corpo em metal e com aquele que é o monitor LCD mais fino de sempre, com apenas 12,5mm de espessura e “claro que tinha de ser touch” como disse Panes Panay na apresentação.

Captura de ecrã 2016-10-26, às 16.30.21

Com um ecrã de 28 polegadas, 13,5 milhões de pixeis e tecnologia True Color (Cor Verdadeira) a Microsoft quis apresentar um produto que permitisse ao utilizador estar completamente focado no trabalho, de maneira a que tudo o está à frente é apenas um ecrã grande com cores muito realistas. Incorpora a assistente pessoal Cortana com ativação através da voz. Com um simples “Hello Cortana” o utilizador pode pedir que sejam executadas diferentes tarefas sem que tenha de estar perto do computador.

Pensado em quem utiliza muito a caneta da gama Surface, este modelo não é diferente e realça o que de melhor se pode fazer com este extra. Inclinando o monitor até à altura que mais se adequar ao modo de trabalho, o Studio transforma-se quase numa mesa de desenho, ideal para realizar tarefas que envolvam alguns dotes mais artísticos. Para ajudar na interação com o dispositivo, surge o Surface Dial. Com este gadget, a maneira como o utilizador interage com o computador é completamente diferente. Colocando o Dial em cima do monitor surge uma lista de opções em torno do mesmo que vão desde uma paleta de cores ao controlo do zoom, da deslocação na página, entre muitas outras opções.

Aproveitando ao máximo o tamanho de ecrã, a Microsoft integrou aquilo a que chamou de True Scale (Escala Real) que permite visualizar uma folha A4 no tamanho real. Aquilo que aparece no ecrã é exatamente o que vai sair para o papel no tamanho com que vai ser impresso.

O Dial é compatível com os modelos da gama Surface a partir do Pro 3 e não precisa de ser colocado em cima do ecrã, uma vez que conta também com haptic feedback, bastando pressionar com a mão para aparecerem diversas opções no computador.

O Studio encontra-se em pré-reserva para alguns países a partir dos $2,999 e inclui a Surface Pen e o Surface Dial.

Surface Book

Um dos momentos aguardados era também o da apresentação do novo Surface Book, o portátil que consegue ser mais que isso. Com um design tipo envelope, a Microsoft apresentou um produto elegante e que dá continuação ao que já havia apresentado há cerca de um ano.

Uma das grandes apostas deste produto foi a autonomia. Com o Surface Book a Microsoft garante até 16h de utilização, um valor superior aquele que é comum nos dispositivos da mesma gama. Além deste ponto, também a performance foi melhorada, garantindo um processamento duas vezes mais rápido que o Mackbook Pro da Apple, assim como gráficos duas vezes melhores. Todo este poder de processamento deve-se ao novo Intel i7 que acompanha a nova versão do Surface Book.

Encontra-se disponível em pré-reserva a partir de $2,399.

Aposta forte no 3D

A Microsoft tem apostado naquilo a que chama de realidade mista (uma junção da realidade virtual e aumentada com o mundo real). A pensar nisso, o novo Windows 10 Creators Update está desenhado para apresentar uma interação simples e intuitiva com o mundo 3D.

Através da nova versão do programa Paint a gigante tecnológica apresenta novas funcionalidades que permitem criar objetos em 3D sem complicações. Basta o utilizador desenhar e o programa trata de criar uma versão em treês dimensões da imagem final.

Além disso, é possível analisar um objeto do mundo real e convertê-lo em formato digital 3D, para que seja possível juntar a qualquer imagem ou criação do utilizador. Mas não foi só o Paint que recebeu novas funcionalidades direcionadas ao que a Microsoft considera ser o futuro. Também o programa de apresentações, o Power Point, ganhou novas capacidades podendo agora integrar imagens em 3D e criar efeitos de transição que vão facilitar a utilização deste tipo de conteúdo.

Os jogos também tiveram o seu tempo de antena

Como já havia sido apresentado em setembro na sede da Microsoft Portugal, a nova X-Box traz novidades associadas ao novo Windows 10 e vai permitir uma integração entre ambas as plataformas. O jogador vai poder iniciar os jogos na consola e continuar no computador sem nenhuma interrupção. Isto significa que, ao comprar um jogo, está a investir em duas plataformas de uma só vez.

Estas novidades no mundo dos jogos vêm em qualidade 4K que a consola da empresa consegue reproduzir desde que a televisão suporte este típo de vídeos.

Uma funcionalidade que ainda não tinha sido revelada até ao momento foi a integração (de origem) da plataforma Beam que vai permitir transmitir em direto os jogos para que seja mais fácil a interação com outros jogadores.

Texto editado por Vitor Matos
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Meus pais e seus aparelhos eletrônicos

Ruth Manus

Parece que todos os aparelhos eletrônicos que os meus pais compram foram vítimas de algum tipo de maldição que tornou seu funcionamento algo absolutamente anormal. 

Inovação

A Caixa de Pandora e a Lâmpada de Aladino

António Covas

Na era digital do ciberespaço e da cibercultura, abrir a Caixa de Pandora ou esfregar a Lâmpada de Aladino pode ser uma operação de alto risco. Cuidado, pois, com a armadilha do narcisismo digital. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site