Escritores

“Mário de Sá-Carneiro online”: um site para divulgar a obra do poeta além-fronteiras

1.815

As dezenas de cartas e postais que o poeta enviou a Fernando Pessoa entre 1912 e 1916, o ano em que morreu, estão agora disponíveis para consulta através do site "Mário de Sá-Carneiro online".

Mário de Sá-Carneiro nasceu em 1890 e morreu em 1916, com apenas 26 anos

Wikimedia Commons

Quando Jerónimo Pizarro e Ricardo Vasconcelos publicaram, em 2015, uma nova edição crítica da correspondência de Mário de Sá-Carneiro com Fernando Pessoa, perceberam que tinham deixado de lado inúmeros materiais que tinham de ser divulgados de outra forma. Com isso em mente, começaram a planear o lançamento de um site que acompanhasse o livro da Tinta-da-China e que permitisse aos leitores aceder às dezenas de cartas e postais que os dois poetas trocaram até à morte de Sá-Carneiro, a 26 de abril de 1916.

Passado um ano da publicação de Em Ouro e Alma: Correspondência com Fernando Pessoa — o primeiro livro da coleção de edições críticas dos trabalhos de Mário de Sá-Carneiro da Tinta-da-China — o projeto ganhou finalmente vida graças ao apoio da Universidade Estatal de San Diego, onde Ricardo Vasconcelos é professor, e ao protocolo firmado com o Instituto Camões que permite a realização de várias atividades no interior do estabelecimento de ensino. “Mário de Sá-Carneiro online” está disponível desde a semana passada e inclui dezenas de materiais que agora podem facilmente ser consultados.

“Quando eu e o Jerónimo [Pizarro] lançámos a correspondência, preparámos uma série de materiais que são muito ricos visualmente mas que não poderiam ser apresentados em todo o seu esplendor na edição”, explicou Ricardo Vasconcelos ao Observador. Apesar de estes terem sido de alguma forma descritos no livro (quer tenha sido através da sua reprodução a preto e branco ou de uma referência nas notas finais), os dois investigadores acharam que “havia muitos aspetos plásticos, visuais”, que deviam receber “a importância devida”.

A ideia era permitir aos leitores conhecer os materiais mais aproximadamente, nomeadamente aqueles que aparecem como marginália. Várias dessas coisas, como os postais, entraram no livro a preto e branco, mas queríamos apresentá-las com outra riqueza. Queríamos que qualquer pessoa, em qualquer lugar, pudesse aceder diretamente aos materiais e ver uma espécie de antologia ou álbum da correspondência”, salientou Vasconcelos.

sá-carneiro,

“Em Ouro e Alma: Correspondência com Fernando Pessoa” é o primeiro livro da coleção de edições críticas da obra de Sá-Carneiro da Tinta-da-China. Foi publicado a 27 de novembro de 2015

Mas esta “antologia” online não serve apenas enriquecer “a leitura dessa correspondência” ou para “satisfazer” a curiosidade dos leitores — permite também olhar com mais atenção para as dezenas de cartas e postais enviados por Sá-Carneiro a Pessoa entre 1912 e 1916 e reparar em pormenores que, de outra forma, escapariam aos olhares mais desatentos. Por exemplo, “não há uma assinatura igual à outra. Sá-Carneiro nunca assina ‘Mário’ quando escreve a Pessoa. São coisas de que não nos apercebemos.”

Muitos dos envelopes, guardados por Pessoas, foram usados por este para escrever poemas ou para fazer pequenos apontamentos. Até, porque como se sabe, Fernando Pessoa escrevia em qualquer lado. “Conseguimos encontrar alguns desses envelopes que não estavam junto do arquivo de Sá-Carneiro porque estavam [catalogados] como poemas de Pessoa”, contou Ricardo Vasconcelos.

As cartas e postais não foram transcritos na íntegra mas, antes de cada imagem, existe um pequeno excerto que ajuda a perceber o conteúdo da missiva. Para ler a correspondência na íntegra, será necessário consultar o livro.

Um site para divulgar a obra de Sá-Carneiro além fronteiras

Esta foi a ideia inicial do projeto, que depressa se tornou em algo muito maior. “Pensámos que o site podia ser uma coisa um bocadinho mais ampla”, afirmou Vasconcelos, que permitisse divulgar a obra de Sá-Carneiro não só em Portugal mas também lá fora. A página ainda está “um bocadinho em desenvolvimento”, mas inclui materiais que poderão ser muito úteis para quem está a iniciar o estudo da obra do poeta.

Além da correspondência e de uma pequena biografia do autor (escrita por Ricardo Vasconcelos), em português e em inglês, “Mário de Sá-Carneiro online” inclui separadores dedicados às exposição realizada na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, por altura do centenário da morte do poeta e às edições críticas que, até ao momento, se resumem a um livro só — a edição de Jerónimo Pizarro e Ricardo Vasconcelos.

“Em rigor existem duas edições críticas de poesia de Sá-Carneiro — aliás, de qualidade — que são por razões diferentes parcelares”, explicou o investigador. “Uma de Fernanda Toriello, da Universidade de Bari, [em Itália,] que se centra nos textos que Sá-Carneiro publicou ou indicou que seriam para publicação, e outra de Giorgio de Marchis, uma edição crítico-genética especificamente do livro de poesia Dispersão”. Esta última, O Silêncio do Dândi e a Morte da Esfinge, foi publicada em Portugal pela Imprensa Nacional — Casa da Moeda.

A ideia é que, “a médio prazo, o site seja totalmente bilingue”. Até ao momento, apenas a biografia se encontra em português e inglês. “O site irá ser traduzido em inglês para, precisamente, ajudar a divulgar o trabalho de Sá-Carneiro de uma forma um bocadinho mais ampla”, frisou Vasconcelos. “É uma porta de entrada bastante aliciante para os textos, que poderá contribuir mais para afirmar a leitura de Sá-Carneiro no contexto internacional.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Web Summit

O absurdo não mata (mas mói)

Jorge Barreto Xavier

Afinal, segundo o ministro da Cultura, o grande problema do indigno jantar da Web Summit no Panteão Nacional, autorizado pela DGPC em 2017 foi: o preço... baixo.

Aquecimento Global

Salvem-nos dos salvadores do mundo

Paulo Tunhas

Na controvérsia sobre o chamado aquecimento global, a dimensão científica e a dimensão política quase se confundem. Há uma passionalidade extrema que vicia a discussão de forma muito notória.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site