Web Summit

Web Summit. O que vem cá fazer esta gente do desporto?

Luís Figo, Rui Costa, Bruno de Carvalho, Patrícia Mamona, Tiago Pires, Ronaldinho Gaúcho, Louis Saha, Mathieu Flamini, atletas olímpicos e muitos outros estarão por cá a pensar o futuro do desporto.

GERRY PENNY/AFP/Getty Images

Autor
  • Hugo Tavares da Silva

Imagine que está a sentar-se na sala de cinema, já com as pipocas na mão. Cá vai mais um trailer: a história é sobre um rapaz, filho de um milionário, que cresceu num castelo com 60 quartos, em Cremona, Itália, e que tinha o sonho de jogar à bola. Lá começou no Cremonese, depois saltou para a Sampdoria, depois Juventus e Chelsea, onde pendurou as botas. No início tinha um cabelo catita, depois ficou conhecido pela careca brilhante. Era um tanque, um craque, batia forte com os dois pés. Pendurou as botas e aventurou-se como treinador. Muito depois disso, saberia o que é apresentar um programa de televisão. Agora, em pleno século XXI, período florescente e meio tresloucado onde as ideias inventam novas formas de viver e comunicar, criou uma aplicação.

Captura de ecrã 2016-11-04, às 12.17.42

Algumas campanhas de crowdfunding da Tifosy de Vialli

A estrela desta história é Gianluca Vialli. Lembra-se? Aquela maravilha que brilhou ao lado de Roberto Mancini e depois de Roberto Baggio e Fabrizio Ravanelli, nos idos anos 90. Uff. Os tempos são outros, os golos já lá vão, agora é o emCaptura de ecrã 2016-11-04, às 16.07.18preendedorismo que está a dar. Vialli estará em Lisboa para falar no seu projeto: Tifosy. A aplicação é a primeira plataforma para os adeptos angariarem fundos para o seu clube. Até ao momento em que escrevemos este artigo, a Tifosy angariou quase um milhão de euros em 24 campanhas, que contaram com o envolvimento de mais de 11 mil adeptos. Vialli vem à Web Summit precisamente falar sobre a influência dos adeptos nos clubes: “The 21st century fan club” — Podem os clubes de futebol beneficiar dos fenómenos de crowdfunding?

Claro que outro trailer interessante seria sobre um tal de Ronaldo de Assis Moreira, que mais tarde seria conhecido por Ronaldinho Gaúcho — agora é aquela fase em que as pipocas estão quase no fim, tão bons que são aqueles mini-filmes. Isso, o ex-10 genial do Barcelona também vem. O brasileiro falará na sua experiência de saltar dos relvados para o mundo das aventureiras startups — “From football pitches to startup pitches”. O ex-futebolista está inserido no projeto Zoome TV, que, segundo a Globo, “oferece uma combinação de TV online e rede social de vídeo”. A ideia é acompanhar a vida de Ronaldinho. Quem falará também na mesma conferência será Roberto Assis, o irmão e empresário de Ronaldinho, que jogou no Sporting no final dos anos 90.

Captura de ecrã 2016-11-04, às 16.08.44

A cena desportiva ganha outra pinta quando continuamos em língua portuguesa, mas com o sotaque de Fernando Pessoa. A Web Summit vai receber Luís Figo, Rui Costa, Nuno Gomes, Patrícia Mamona, Tiago Pires, Bruno de Carvalho e Domingos Soares de Oliveira, para falar nos mais conhecidos. Vamos a isto:

Luís Figo, o extremo de alto gabarito que passou por Sporting, Barcelona, Real Madrid e Inter, falará no segmento “Scouting for goals”, que vai refletir sobre a importância de novas ferramentas de comunicação do talento no futebol. Ou seja, plataformas que funcionam como se fossem olheiros 2.0. O ex-capitão da seleção portuguesa é cofundador da Dream Football, juntamente com João Guerra, que estará no mesmo painel a discutir o tema.

No painel “Challeging the super clubs”, que espera decifrar o enigma que permita encurtar distâncias para os colossos europeus como Real Madrid, Barcelona e Manchester United, estarão presentes três elementos associados ao Benfica e mais um homem que escreve sobre futebol. Rui Costa, Nuno Gomes, Domingos Soares de Oliveira e Andy Mitten, que colabora com United We Stand, FourFourTwo e ESPN, serão os speakers, que terão essa árdua tarefa de desmontar e desmistificar os gigantes, indicando qual o caminho para os mais pequenos serem maiores.

Portugal's Patricia Mamona competes during the women's triple jump final at the 2012 European Athletics Championships at the Olympic Stadium in Helsinki on June 29, 2012. AFP PHOTO / ADRIAN DENNIS (Photo credit should read ADRIAN DENNIS/AFP/GettyImages)

Patrícia Mamona (ADRIAN DENNIS/AFP/GettyImages)

Uma atualização e novidade na lista é Patrícia Mamona, a atleta de triplo salto que esteve nos Jogos Olímpicos em 2012 e 2016. Mamona falará na conferência “Amateur to professional: preparing the next step”. Ou seja, vai contar a sua história, de mão dada com essa transição do amadorismo para o atletismo a sério. Era uma garota com ambição quando, muito cedo na sua vida, trocou o Juventude Operária de Monte Abraão pelo Sporting. Ela queria mais. No mesmo painel estará Luke Campbell, um pugilista britânico que chegou à medalha de ouro nos JO 2012 quando ainda era amador. Aqui vamos conhecer, portanto, os trajetos dos atletas e perceber como é que a tecnologia contribuiu para eles chegarem mais longe ou baterem mais forte.

Captura de ecrã 2016-11-04, às 16.04.46

Continuando nas páginas verdes e brancas desta cantiga, o presidente do Sporting dará também o seu contributo na Web Summit. Bruno de Carvalho estará no painel para falar sobre o negócio do futebol, nomeadamente sobre ligas, franchises e as decisões importantes a tomar na lógica de um clube.

Da relva saltamos para a água salgada. Tiago “Saca” Pires está inserido na conferência “The next wave: tech takes extreme sports”. Aqui vai falar-se na importância da tecnologia no surf, principalmente. É que segundo o texto de apresentação do painel e tema, a Web Summit dá muito relevo ao que o surf tem conquistado, através do recurso a GoPros e tecnologias de ponta para desenvolver pranchas e fatos. “E isso é apenas a ponta do iceberg“, dizem.

Saca vai partilhar palco com os surfistas Anastasia Ashley e Andrew Cotton e ainda com Irvine Heather, uma mulher que escreve peças de desporto para a Red Bull, Outsider Magazine, Sunday Times e Wundersould.com. Lá está, vão debater também eles o que a tecnologia poderá dar ao seu desporto.

Tiago Pires

Tiago Pires, surfista português

Giro, giro, vai ser ouvir a conversa sobre dois temas em particular: “Serão os carros elétricos o futuro do automobilismo?” e “Porque os drones serão o próximo grande desporto”. Nicholas Horbaczewski, fundador e CEO da Drone Racing League, estará por lá a explicar o fenómeno. Promete, hein?

Igualmente sedutor, e talvez mais pertinente, será a conversa sobre como a tecnologia pode travar os batoteiros, aqueles que se dopam. Allison Wagner, uma das presentes no painel, é um belo exemplo do impacto da batotice. Foi 13 vezes campeã nacional de natação e ganhou uma medalha de ouro nos JO 1996, em Atlanta, mas perdeu quatro medalhas de ouro em grandes eventos para atletas qCaptura de ecrã 2016-11-04, às 16.06.09ue estavam dopadas. Wagner é alguém que promove e luta pelo espírito olímpico, algo que tenta transmitir no seu trabalho como mentora. Nikki Dryden, uma ex-nadadora que participou nos Jogos Olímpicos de 1992 e 1996, vem a Lisboa falar também da sua experiência e da sua missão como alguém que defende os direitos humanos no desporto.

Boas razões não faltam para ouvir quem pensa e imagina o desporto de outra forma. Para aqueles que ficaram com a pulga atrás da orelha, sim, há mais jogadores e ex-jogadores de futebol presentes. Lembra-se de Mathieu Flamini, que passou pelo Arsenal e Milan? O médio defensivo é um parceiro da GFBiochemicals, por isso vem, com certeza, falar de coisas complicadas. Essa empresa foi fundada há sete anos e visa encontrar soluções para os produtos que dependem do petróleo. O futebolista do Crystal Palace quer combater as mudanças climáticas e até foi nomeado membro do Comité Olímpico de Excelência Ambiental para Paris 2024 — Budapeste, Roma, Los Angeles e a capital francesa correm pela organização dos Jogos Olímpicos de 2024.

Mais alguém? Sim, Louis Saha, o ex-avançado do Manchester United, que falará sobre a forma como a exclusividade e transparência do desporto em geral afeta talentos, empresas, organizações e comunidades. Bom, já levantámos muuuuito o véu: veja aqui o calendário completo do desporto na Web Summit.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Web Summit

O absurdo não mata (mas mói)

Jorge Barreto Xavier
287

Afinal, segundo o ministro da Cultura, o grande problema do indigno jantar da Web Summit no Panteão Nacional, autorizado pela DGPC em 2017 foi: o preço... baixo.

Infarmed

Um país sem remédio

Alberto Gonçalves
220

No fim, como de costume, as coisas ficarão na mesma, com o Infarmed em Lisboa, uma sucursal no Porto para justificar o barulho e cinco comissões inventadas para “articular” o arranjo.

Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site