Logo Observador
Reino Unido

Jeremy Corbyn compara Theresa May a Donald Trump

O líder do Partido Trabalhista britânico acusou Theresa May de ter usado as mesmas estratégias que Donald Trump mas de uma maneira mais refinada e de ter alimentado as "chamas do ódio".

Jeremy Corbyn discursou durante um encontro regional do Partilho Trabalhista

Ian Forsyth/Getty Images

Jeremy Corbyn acusou a primeira-ministra britânica, Theresa May, de alimentar as “chamas do medo” em relação à imigração e de apoiar no Reino Unido as mesmas políticas de divisão seguidas por Trump, mas de uma maneira mais refinada.

Em vez de oferecer soluções reais ou recursos para as fazer funcionar, [Donald Trump] apenas ofereceu alguém para ser culpado. Os Tories fazem o mesmo”, afirmou Corbyn referindo ao Partido Conservador de May, durante uma reunião regional do Partido Trabalhista, citado pelo Independent. “Eles abriram a porta ao UKIP e alimentaram as chamas do medo.”

O líder dos trabalhistas acusou ainda May de “alimentar a ideia de que a imigração era um problema real” quando ainda era secretária de Estado para os Assuntos Internos do Governo de David Cameron. “[Ela] fez promessas sabia que não podiam ser concretizadas em relação a cortar nos números e instigou o ódio com as carrinhas ‘Go Home’. Não admira que ela nem tenha sido capaz de dar as boas vindas a Donald Trump. Ela usou a mesma estratégia, mas com mais refinamento.”

Quando era secretária de Estado, May foi responsável por supervisionar o projeto de envio de uma carrinha a seis bairros londrinos com a mensagem “voltem para casa ou sejam presos”, dirigida aos imigrantes ilegais. A ideia acabou por cair por terra, com a própria Theresa May a considerá-la uma abordagem demasiado extrema.

“Não sabemos como é que Donald Trump pretende, como ele diz, tornar a América grande outra vez. E os Tories de Theresa May oferecem slogans, mas não soluções, para a maioria das pessoas na Grã-Bretanha”, concluiu Jeremy Corbyn.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt