PSD/CDS

“Diabo” da economia só mesmo para a oposição PSD/CDS-PP, segundo PS

Após serem divulgados os dados do INE sobre a economia do país, o PS congratula-se dos resultados e afirma que o "diabo" da economia só existe, mesmo, para a oposição PSD/CDS.

PS afirma que o "diabo" da economia só existe para a oposição e congratula-se com dados positivos do INE

HUGO AMARAL/OBSERVADOR

Autor
  • Agência Lusa

O porta-voz do PS congratulou-se esta terça-feira com os “dados extremamente positivos” divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a evolução económica em Portugal, os quais “desmentem” o “diabo” só existente para a oposição PSD/CDS-PP.

Desmentem todos aqueles que insistiam em falar de uma estratégia de falhanço do Governo e das políticas implementadas. É uma trajetória que tem de ser continuada e reforçada”, disse João Galamba à Lusa, atribuindo “o diabo”, invocado pelo presidente do PSD, Passos Coelho, “só mesmo à oposição, a única que fala sobre isso”.

O deputado socialista salientou tratar-se de “dados extremamente positivos – o melhor trimestre dos últimos 11” e “o crescimento em cadeia mais elevado de toda a zona euro”.

Vem confirmar o que o PS tem andado a dizer, que a economia, depois de uma forte desaceleração em 2015, começou a recuperar em 2016. Há uma subida do emprego e tudo indica que atingiremos o défice mais baixo da democracia portuguesa”, continuou.

João Galamba lembrou que a aposta dos socialistas sempre foi nos rendimentos, exemplificando com o aumento do imposto do selo sobre crédito ao consumo e do Imposto Sobre Veículos (ISV) para contrariar o pequeno crescimento de 2014 e 2015 assente na venda de automóveis, comparando com a atual “forte aceleração do consumo de bens não duradouros”.

Segundo a estimativa rápida do organismo de estatística português, a economia cresceu 1,6% no terceiro trimestre do ano em termos homólogos e 0,8% face ao trimestre anterior, acima das previsões dos analistas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eurogrupo

Centeno no Eurogrupo, a direita num beco

Alexandre Homem Cristo
941

A vitória de Mário Centeno é a derrota de um discurso político. Se não puder acusar a geringonça de ser irresponsável na gestão das contas públicas, que alternativa propõe a direita ao país? Nenhuma.

PSD

A direita do futuro

António Pedro Barreiro
631

O país dispensa uma direita que convenha à esquerda. A direita tem de ser descomplexada e ter alternativas, sem se acantonar no passado. Assim Cristas tirou a maioria a Medina, assim se derrota Costa.

PSD

Tempos interessantes para a direita

Maria João Marques
936

Faria bem ao PSD escolher personagens não cinzentas, novas, que conheçam mais o país que a bolha do partido. Gente que saiba fazer oposição de forma aguerrida e sinta prazer por ir à cara à esquerda. 

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site