Logo Observador
Pesca

Ministros das Pescas da UE reúnem-se 2.ª e 3.ª feira para decidir limites das capturas

Os ministros das Pescas da União Europeia (UE) reúnem-se na segunda e terça-feira para decidir os totais admissíveis de capturas e respetivas quotas nacionais para 2017, negociações que tradicionalmente se arrastam pela madrugada.

EDUARDO COSTA/LUSA

Os ministros das Pescas da União Europeia (UE) reúnem-se na segunda e terça-feira para decidir os totais admissíveis de capturas (TAC) e respetivas quotas nacionais para 2017, negociações que tradicionalmente se arrastam pela madrugada.

As conversações sobre os TAC iniciam-se na segunda-feira, paralelamente ao debate de temas de agricultura, com as pescas a dominar a agenda de terça-feira e os Estados-membros a tudo fazerem para aumentar os limites para as suas pescarias.

No caso de Portugal, são particularmente contestados os cortes propostos no final de outubro para a pescada (-35,9%) e para os areeiros (-25,7%) por serem espécies de grande valor comercial.

Mais recentemente, a Comissão Europeia aumentou em 5% os TAC de pescada, para compensar os pescadores pela obrigação de desembarcarem todo o peixe capturado.

No caso do biqueirão, Bruxelas propõe uma manutenção da quota, apelando Lisboa a um aumento sustentado pela abundância desta espécie em águas nacionais.

No caso das raias, Portugal defende uma subida superior aos 5% propostos, argumentado que os pareceres científicos sustentam até mais 15% de capturas.

As propostas serão decididas no Conselho de Ministros das Pescas, negociações tradicionalmente duras e longas, e entram em vigor a partir de 01 de janeiro de 2017.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Homossexualidade

Hereges e beatas

Luis Carvalho Rodrigues

Eu percebo que gente como a deputada Isabel Moreira não faça a mínima ideia do que é uma “verdade científica” sobre a homossexualidade. Mas já custa ver a professora Ana Matos Pires repetir a tolice.

Sociedade

Esquerda e instrumentalização da homossexualidade

João Marques de Almeida

Os liberais devem defender os direitos dos homossexuais e lutar, contra os ataques das esquerdas radicais, por uma sociedade assente na família tradicional. A maioria dos portugueses terá esta posição

Homossexualidade

Hereges e beatas

Luis Carvalho Rodrigues

Eu percebo que gente como a deputada Isabel Moreira não faça a mínima ideia do que é uma “verdade científica” sobre a homossexualidade. Mas já custa ver a professora Ana Matos Pires repetir a tolice.

Sociedade

Esquerda e instrumentalização da homossexualidade

João Marques de Almeida

Os liberais devem defender os direitos dos homossexuais e lutar, contra os ataques das esquerdas radicais, por uma sociedade assente na família tradicional. A maioria dos portugueses terá esta posição