Macau

Número de casas vendidas em Macau dispara 122% em novembro

As transações de imóveis destinados a habitação em Macau subiram 122% em novembro, em comparação com o mesmo mês de 2015, acompanhadas por uma subida de 21% do preço do metro quadrado.

No entanto, os preços começaram a cair no início de 2015, registando desde então flutuações

JEROME FAVRE/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

As transações de imóveis destinados a habitação em Macau subiram 122% em novembro, em comparação com o mesmo mês de 2015, acompanhadas por uma subida de 21% do preço do metro quadrado. Estatísticas disponibilizadas no portal dos Serviços de Finanças revelam que em novembro deste ano foram transacionadas 1.144 frações, muito acima das 515 vendidas em novembro do passado.

Foi na Taipa que se verificou o maior aumento de venda de frações para habitação, com 239 transacionadas este ano face às 79 em 2015, uma subida de 202%. Na península de Macau foram vendidas 818 habitações, mais 114% que em novembro do ano passado.

O aumento das transações foi acompanhado por uma subida dos preços de 21%, em termos gerais, para 90.428 patacas (10.801 euros) por metro quadrado. Na Taipa, a subida foi mais acentuada, 32%, de 76.189 patacas (9.100 euros) por metro quadrado para 100.571 patacas (12.013 euros). A menor subida em termos percentuais, 14,9%, verificou-se na zona com os preços mais altos, Coloane, onde o metro quadrado atingiu em novembro 125.237 patacas (14.959 euros), mais que as 108.999 patacas (13.020 euros) desse mês em 2015.

Desde a liberalização de facto do jogo em Macau, em 2004, com a abertura do primeiro casino fora do universo do magnata Stanley Ho, o setor imobiliário tem estado sempre em alta. No entanto, os preços começaram a cair no início de 2015, registando desde então flutuações.

O preço médio do metro quadrado das casas em Macau caiu 13% no cômputo do ano passado face a 2014. O acesso à habitação, devido aos preços elevados, é um dos maiores motivos de queixa da população de Macau.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site