Logo Observador
Tendências

Os artigos de moda mais vendidos em 2016

Casacos bombers, ténis e vestidos sem ombros foram três das peças mais desejadas nos últimos 12 meses. Reunimos sugestões de compras para usar as grandes tendências de 2016 antes que desapareçam.

Autor
  • Sílvia Silva

No ano em que a Fendi soprou 90 velas andando sobre a Fontana di Trevi, Hedi Slimane saiu da Yves Saint Laurent, a Zara lançou uma coleção de género neutro e Sonia Rykiel, a grande designer das malhas irreverentes, morreu aos 86 anos, para falar de moda resta-nos fazer um balanço das tendências mais procuradas de 2016.

Segundo a Edited, uma empresa especializada em estudos e tecnologia de mercado (e tal como o Google já tinha previsto no seu relatório de tendências), os vestidos off shoulder (sem ombros) foram uma das peças mais vendidas nas lojas online de Inglaterra e dos Estados Unidos. Venderam-se mais de 19 mil estilos diferentes e, a par das blusas e camisolas do mesmo estilo, captaram tantos ou mais flashes nas contas de Instagram. Como uma espécie de alerta bomber, o casaco favorito da moda tomou também as lojas de assalto e venderam-se mais de 61 mil estilos deste ex-casaco militar. Os macacões (também conhecidos como o canivete do armário e uma das tendências que já tínhamos visto em 2015) registaram 52 mil exemplares vendidos. À lista juntaram-se os ténis desportivos, os vestidos de alças finas e as camisolas oficiais de bandas e filmes.

Passando 2016 em revista, reunimos em fotogaleria as tendências mais vendidas dos últimos 12 meses com as respetivas sugestões de compras para cumprimentar o novo ano bem vestido da cabeça aos pés.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Desterritorialização e extra-territorialidade

António Covas

Nesta batalha já longa entre o mercado global e a democracia doméstica, a desterritorialização e a extra-territorialidade convertem-se nos principais adversários do velho Estado-nação vestefaliano.