Logo Observador
Donald Trump

Trump não tem quem queira cantar na sua tomada de posse

8.590

Depois de Melania Trump não ter quem a queira vestir como primeira-dama, surge uma nova polémica: não há quem queira cantar na tomada de posse do presidente eleito Donald Trump.

Será a jovem de 16 anos Jackie Evancho que vai "cobrir" a ausência das celebridades de renome e cantar o hino americano

ALBIN LOHR-JONES / POOL/EPA

Depois de Melania Trump não ter quem a queira vestir como primeira-dama, surge uma nova polémica: não há quem queira cantar na tomada de posse do presidente eleito Donald Trump dia 20. Cantores como Elton John ou Garth Brooks já rejeitaram atuar no evento, conta o El País.

Barack Obama teve, em 2013, Beyonce a cantar o hino nacional americano antes do seu juramento, Kelly Clarkson e James Taylor depois e ainda Alicia Keys, Marc Anthony ou Brad Paisley na lista de artistas que animaram o evento.

Mas a organização da cerimónia em que Donald Trump toma posse como Presidente dos Estados Unidos da América, tem visto alguns obstáculos que não estavam previstos na agenda. Nem sequer o rapper Kanye West, uma das poucas celebridades que sempre apoiou Trump e até já se encontrou com ele, aceitou o convite.

A escolha teve de recair assim sobre Jackie Evancho que irá ‘cobrir’ a ausência das celebridades de renome. A jovem, de 16 anos, ficou conhecida pela participação no America’s got Talent e terá a missão de cantar o hino nacional.

Estão também confirmados os Rockettes, grupo de dança da Radio City, de Nova Iorque. Mas das 36 bailarinas que compõem o grupo, várias já expuseram nas redes sociais o seu desagrado para com o presidente eleito, afirmando que Trump não é a pessoa que as representa, afirma o El País.

Rockettes_

Rockettes

Quem está encarregue de dirigir a cerimónia é Stephanie Winston Wolkoff, que durante anos realizou as galas da Vogue no Metropolitan, Nova Iorque.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Racismo

O Presidente cujo único foi derrotar uma mulher

Maria João Marques
349

Os trumpistas do lado esquerdo poderão continuar a chamar racista sem medo do ridículo, nem percebem que a gritaria de ‘racista’ os faz parecer maluquinhos quando o visado é casado com uma guineense.