Logo Observador
Fotografia

O português que fotografa casas “solitárias”

Chama-se Manuel Pita, é cientista de profissão, mas quando tem uma câmara na mão assume o alter-ego de Sejkko. Capta essencialmente casas "solitárias", na sua maioria portuguesas.

As casas "solitárias" são já quase como uma imagem de marca do fotógrafo Sejkko

DR. Instagram Sejkko

Chama-se Manuel Pita, é cientista de profissão, mas quando tem uma câmara na mão assume o alter-ego de Sejkko. Capta essencialmente paisagens e as já famosas casas “solitárias”, na sua maioria portuguesas.

O The Telegraph apelida as fotografias como “incrivelmente bonitas”. Apesar de a Ilha da Madeira ser objeto de inspiração para o cientista e fotógrafo Manuel Pita, as fotografias cheias de cor e vida são tiradas um pouco por todo o mundo. No entanto as casas e as paisagens que se avistam por terras portuguesas são as que Sejkko mais fotografa.

Manuel Pita é português, mas foi na Venezuela que cresceu, segundo conta no seu site oficial. A ilha da Madeira era o local onde passava férias, em família, e foi na ilha portuguesa que o gosto pela fotografia cresceu. Apenas precisou de um iPhone e de inspiração para captar os detalhes e recantos do arquipélago. A partir daí começou a elaborar um portefólio nas redes sociais, nomeadamente no Instagram, onde soma já milhares de seguidores e likes.

Os temas fotografados por Sejkko são a natureza, como a praia e as “casas solitárias”, que são o seu principal e mais famoso material de fotografia. O céu azul celeste com pequenas e suaves nuvens são sempre o cenário ‘usado’. “Tenho explorado a fotografia de forma mais séria, bem como a sofisticada caixa de ferramentas de edição digital”, contou o fotografo português ao jornal britânico.

Apesar de a fotografia se ter tornado algo sério na sua vida, Manuel continua a ser cientista a tempo inteiro. A sua área de trabalho é a inteligência artificial e conjuga o seu dia-a-dia com as fotografias do alter-ego Sejkko. Aliás, acredita que ambas as coisas devem andar lado a lado. Existe “um divórcio desnecessário entre Natureza e tecnologia”, afirmou durante uma reportagem que promoveu a sua exposição no centro comercial Colombo o ano passado.

Reunimos algumas das fotografias que Sejkko vai postando no Instagram. Prepare-se porque quer sejam paisagens, quer sejam as famosas casas “solitárias”, as imagens prometem inspirar.

Onde tudo começou: na lha da Madeira

At home in the universe ???????????? . #sejkko_lonelyhouses

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

No continente, concretamente em Sesimbra:

Not shaking in strong winds ✨ . . #sejkko_lonelyhouses

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

The new house of vintage Portuguese video games ???????????? . . #sejkko_lonelyhouses

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

Nature wins in the end ✨ . #tbt for #sejkko_lonelyhouses ????

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

Por Aveiro:

A norte de Portugal, em Ponte da Barca:

The pure ones, thrive beyond the end ☄️ . . #sejkko_lonelyhouses

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

A natureza também é motivo de disparo de câmara para Sejkko. O mar é a personagem principal na maioria das fotografias do género.

The cosmos is watching ???? . .

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

Amberine ✨ . . .

Uma foto publicada por Manuel Pita (@sejkko) a

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Acesso privilegiado

Miguel Tamen

Há profissões que dependem da ideia de que os seus profissionais têm um acesso privilegiado a segredos e mistérios que os outros nunca estarão em posição de conhecer.