Presidente Trump

Já são 27 os congressistas que não vão à tomada de posse de Trump

908

E o número continua a subir: são já 27 os congressistas democratas que anunciaram que não estarão presentes na tomada de posse de Donald Trump na próxima sexta. Saiba as suas motivações.

Esta decisão surgiu depois das críticas do multimilionário norte-americano ao congressista John Lewis e após as alegadas interferências da Rússia nas presidenciais

Getty Images

E o número está a crescer. Já são 27 os congressistas democratas que não vão à tomada de posse de Donald Trump como presidente dos EUA na sexta-feira. Esta decisão surgiu depois das críticas do multimilionário norte-americano ao congressista John Lewis, defensor dos direitos civis para os negros durante os anos 60, e após as alegadas interferências da Rússia nas presidenciais, dá conta a CNN. Apesar do boicote ser invulgar, é considerado minoritário, visto que a Câmara de Representantes tem 194 congressistas democratas e, por enquanto, também nenhum dos senadores anunciou que vai estar ausente da cerimónia.

Abaixo fica a lista de alguns congressistas democratas (e os Estados que representam) que afirmaram, publicamente, que não iam comparecer à cerimónia da tomada de posse de Donald Trump.

Al Green (Texas)

“Eu não vou comparecer à cerimónia porque a consciência me diz que é o mais certo a fazer”, pode ler-se no comunicado de Al Green, fazendo ainda referência aos feitos e ao legado de Martin Luther King, um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis negros nos EUA, tal como John Lewis.

Congressman Al Green: “Hoje, honramos o lendário ícone dos direitos civis MLK [Martin Lutler King], cuja luta pela justiça e pelos direitos humanos ainda é relevante hoje em dia”.

John Lewis (Geórgia)

O ativista dos direitos civis dos negros dos EUA admitiu, em entrevista exclusiva à NBC News, que não via Donald Trump como um candidato legítimo à presidência e que, por essa razão, não iria à sua tomada de posse dia 20 de janeiro. “Nós não podemos estar em casa com algo que consideramos errado”, salientou Lewis àquela estação televisiva.

Lucille Roybal-Allard e Mark Takano (Califórnia)

“Eu pensei muito sobre a minha participação na cerimónia porque valorizo a democracia e respeito a presidência, independentemente do partido político. No entanto, os comentários depreciativos que o presidente eleito dos EUA fez sobre vários grupos, incluindo mulheres, mexicanos e muçulmanos contrariam os meus valores. Como resultado disso, não vou comparecer à tomada de posse”, referiu Roybal-Allard em comunicado, citado pela CNN.

Também Mark Takano anunciou que não estaria presente na cerimónia.

Mark Takano: “Tudo conversa, nenhuma ação. Eu estou do lado de John Lewis e também não vou à cerimónia”.

Keith Ellison (Minnesota)

No Twitter, Ellison também mostrou o seu descontentamento quanto aos ideais de Donald Trump e anunciou que não iria estar presente na tomada de posse.

Rep. Keith Ellison: “Eu não vou comemorar um homem que preza por uma política de divisão e pelo ódio. Eu não vou estar presente na cerimónia de Donald Trump”, pode ler-se na publicação.

Steve Cohen (Tennessee)

Já Steve Cohen, representante do Estado do Tennessee, admitiu, de forma irónica, que gostava de estar presente na tomada de posse de Trump. Faz também questão de dizer que ele não merece governar os Estados Unidos da América, salientando ainda a sua falta de valores. “Eu adorava estar presente na cerimónia. Eu sou um membro do Congresso graças aos seus votos. Obrigada. Eu valorizo o nosso Governo. Eu aprecio-o muito. Este presidente semi-eleito não merece ser Presidente dos EUA. Ele não tem as caraterísticas e os valores que devia ter”, disse Cohen à estação televisiva WMC Action News 5.

Yvette Clarke e Jerrold Nadler (Nova Iorque)

Yvette Clarke: “Eu NÃO vou estar na cerimónia de Donald Trump. Quando insultas John Lewis, insultas a América”, pode ler-se na publicação da congressista.

Também Jerrold Nadler, num comunicado, citado pela CNN, salientou que não ia comparecer na tomada de posse. “A retórica e as ações de Donald Trump têm estado até agora muito além das expetativas – tão preocupantes e perturbadoras – e o seu fracasso continua a ser visível nos conflitos de interesse (…) Eu não posso participar de consciência tranquila nesta honrada e reverente tradição democrática”, afirmou.

Raul Grijalva (Arizona)

“Eu não vou estar presente na inauguração de Donald Trump como novo presidente”. A minha ausência não é motivada pelo desrespeito para com o Governo que nós temos na democracia, mas sim, motivado por atos individuais, sim, pelo ato de desrespeito para com os milhões e milhões de americanos”, declarações de Raul Grijalva, na sexta-feira, citadas pela CNN.

Pramila Jayapal (Washington)

Pramila Japaypal: “Donald Trump: John Lewis é o melhor de tudo na América. Se alguém sabe de ação e não de palavras, é ele”, referiu a representante de Washington no Twitter, que se mostrou preocupada em defender John Lewis perante as críticas de Trump.

Marcia Fudge (Ohio)

Rep. Marcia L. Fudge: “Como eu disse a Joy Reid, eu não vou estar na cerimónia. Vou ficar em casa em Cleveland. #euestoudoladodeJohnLewis”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site