Logo Observador
100% português

Sugo Cork Rugs, a marca que transforma cortiça em tapetes

227

São os primeiros tapetes de cortiça feitos em teares tradicionais, são ecológicos e são portugueses. Para já há 13 padrões à escolha, mas também é possível personalizar o seu modelo.

Autor
  • Raquel Salgueira Póvoas

Vestuário, malas, chapéus de chuva e acessórios de decoração cheios de design. No que toca à cortiça, Portugal continua a provar que há vida e inovação para além da rolha. Desta vez, assentando os pés em tapetes feitos a partir de cortiça, lã nacional e algodão recuperado de grandes produções industriais.

A ideia e conceção é da Sugo Cork Rugs, uma marca consolidada a partir da incubadora Amorim Cork Ventures, do grupo Corticeira Amorim, que tem desafiado os empreendedores a mostrarem a sua criatividade na produção a partir da cortiça (outro exemplo do mesmo processo é a marca de chinelos As Portuguesas, de que falámos neste artigo).

Desta vez, e através da startup TD Cork, a marca junta no mesmo produto duas forças da indústria portuguesa — a cortiça e a tecelagem de tapetes –, ao mesmo tempo que se torna um exemplo do eco-design. A ideia surgiu, precisamente, pela vontade de inovar na utilização de matérias-primas e produzir a partir de materiais ecológicos, explica Susana Godinho, designer e mentora do projeto.

Sugo Cork Ambiente 4

Um dos tapetes da nova marca. © Divulgação

Este é um tapete inovador, com benefícios de desempenho muito interessantes e credenciais de sustentabilidade, a que se junta uma grande versatilidade estética”, explica também Sónia Andrade, gestora da empresa.

Por versatilidade estética entendam-se cores, padrões e tamanhos variados, visíveis na primeira coleção da Sugo, lançada este mês. Para já há 13 modelos, a preços que vão dos 220€ aos 500€ por metro quadrado, mas o cliente pode também optar por personalizar o seu tapete. Uma coisa é certa: cada um é feito por tecelões em teares tradicionais de tapeçaria, num processo inédito — explicado no vídeo abaixo — que originou até um pedido de patente.

Estendida em cada criação vem também uma lista de vantagens. Por serem feitos em cortiça, os tapetes combinam várias das caraterísticas desta matéria-prima, da sustentabilidade à leveza, passando pelas propriedades isoladoras e um menor risco de alergias.

Com um mês de vida, o conceito já está a despertar curiosidade. “Após o lançamento temos sido inundadas de pedidos, especialmente por parte de um público especializado, incluindo contactos de alguns nomes conceituados do design de interiores”, dizem as responsáveis.

Se também quer pôr os pés nestes tapetes, resta dizer que em breve eles serão vendidos em concept stores e gabinetes de arquitetura e design, e que para já pode adquiri-los entrando em contacto com a marca, através do site.

Nome: Sugo Cork Rugs
Data: 2017
Pontos de venda: Através de contacto feito pelo site
Preços: O PVP do metro quadrado do tapete standard varia entre os 220€ e os 500€ (no caso dos tapetes personalizados, o valor é calculado consoante o material selecionado, o tamanho e o tipo de padrão)

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt