Logo Observador
Estudantes

Estudantes moçambicanos recebem maioria das bolsas concedidas pelo Brasil em 2016

Os estudantes moçambicanos conseguiram a maioria das bolsas oferecidas pelo Brasil em 2016 aos países em desenvolvimento, refere uma nota de imprensa da embaixada brasileira em Maputo.

"Diversos profissionais formados no Brasil são reconhecidos por sua excelência técnica e académica", lê-se no texto

Os estudantes moçambicanos conseguiram a maioria das bolsas oferecidas pelo Brasil em 2016 aos países em desenvolvimento, refere uma nota de imprensa da embaixada brasileira em Maputo.

O comunicado indica que, das 76 bolsas disponíveis no ano passado, no âmbito do Programa de Estudante – Convénio de Pós Graduação (PEC-PG), 42 foram concedidas a candidatos oriundos de Moçambique.

“Este é o resultado de um esforço conjunto dos governos brasileiro e moçambicano na área de pesquisa e formação académica”, realça a nota.

O maior aproveitamento das bolsas oferecidas no âmbito do PEC-PG, por parte dos estudantes moçambicanos, tem-se traduzido na empregabilidade dos beneficiários, acrescenta a nota.

“Diversos profissionais formados no Brasil são reconhecidos por sua excelência técnica e académica”, lê-se no texto.

No quadro do PEC-PG, o estudante pode escolher o curso e a universidade que quer frequentar, fica isento de qualquer propina e recebe uma bolsa ao longo da duração do curso, explica a embaixada do Brasil em Maputo.

Após a conclusão da atividade formativa, o graduado recebe um diploma com todos os requisitos necessários para o seu reconhecimento pelo Governo moçambicano, acrescenta o comunicado.

Além de África, o PEC-PG, iniciado em 1981, é destinado aos estudantes das américas e da Ásia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estudantes

Uma geração perdida e sem valores

Luís Aguiar-Conraria
1.206

Há uns anos um colega comentou que os estudantes estavam cada vez mais imaturos. Na verdade todos os anos eles têm a mesma idade. Nós, os professores, é que, a cada ano que passa, ficamos mais velhos.

caderno de apontamentos

Reutilizar manuais é de rico?

João Bernardo Parreira
268

Reutilizar manuais não é só aliviar as famílias de um fardo anual. É também educar para a sustentabilidade e responsabilidade financeira. Mas, para que seja possível, é necessário decidir como fazê-lo

Obituário

Um dos mais brilhantes de uma geração pioneira

João Moreira Rato

Conheci Miguel Beleza só nos últimos anos e ainda tive a oportunidade de usufruir do seu humor fino. E continuei a ouvir dos seus pares: “É uma das inteligências mais brilhantes da minha geração”.

Obituário

Custa-me acreditar que tenha partido tão cedo

Aníbal Cavaco Silva

Miguel Beleza serviu Portugal com grande competência, ajudando-o a vencer as crises financeiras por que passou e a dar passos decisivos para que acompanhasse o aprofundamento da integração europeia.