Logo Observador
Terceira Idade

Reformados promovem jornada de esclarecimento sobre pensões e subsídios

A Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos MURPI promove uma jornada nacional de esclarecimento sobre o aumento extraordinário das pensões.

Autor
  • Agência Lusa

A Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos MURPI promove a, partir desta sexta-feira, uma jornada nacional de esclarecimento sobre o aumento extraordinário das pensões e a luta pela reposição do poder de compra.

Destinada a todos os reformados, pensionistas e idosos, a jornada pretende também esclarecer sobre o pagamento do subsídio de Natal, que este ano será pago metade em duodécimos e o restante em novembro, disse à agência Lusa o presidente da confederação.

Para o MURPI, o pagamento do subsídio de Natal devia ser “pago na íntegra de uma só vez”, defendeu Casimiro Menezes

A jornada, que decorrerá em vários distritos do país, pretende explicar o significado do aumento extraordinário das pensões, na sequência das lutas promovidas pelo MURPI em 2016, e da necessidade de prosseguir a luta pela reposição do poder de compra para todas as pensões.

Foi com a “luta dos reformados do MURPI que se conseguiu concretizar o aumento de 10 euros por pensionista até pensões de 624 euros”, disse Casimiro Menezes.

Segundo o presidente da confederação, esta iniciativa “é um passo” para que as “reivindicações de há muito tempo” dos reformados venham a ter “alguma concretização” nos próximos tempos.

Também achamos que só podemos concretizar estes direitos e estas reivindicações através da luta organizada e promovida pelo MURPI.

A campanha nacional de esclarecimento arrancou, esta sexta-feira, com uma conferência de imprensa na Associação Comunitária de Reformados Pensionistas e Idosos de Sacavém e vai prosseguir com ações em vários distritos, como no Porto, Lisboa e Coimbra.

“Vamos fazer em cada distrito ações de contacto com os reformados” e distribuir “um documento esclarecedor sobre todos estes aspetos e que apela aos reformados a continuarem a luta”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terceira Idade

A peste grisalha

Paulo de Almeida Sande
1.641

A velhice na sociedade actual, que nos chama velhos aos 40 e nos condena a um longo ostracismo até que a vida natural em nós se apague, 50 ou 60 anos mais tarde, é um longo, lento e doloroso naufrágio