Sistema Financeiro

Parlamento aprova criminalização de informações falsas no sistema financeiro

O parlamento aprovou por unanimidade a proposta de lei do Governo que revê o regime sancionatório do direito dos valores mobiliários, criminalizando o uso de informação falsa ou enganosa.

O parlamento aprovou esta sexta-feira por unanimidade a proposta de lei do Governo que revê o regime sancionatório do direito dos valores mobiliários, criminalizando o uso de informação falsa ou enganosa na captação de investimento.

No debate da proposta de lei, na manhã desta sexta-feira, o secretário de Estado adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, salientou que “o comportamento desonesto de alguns causou perdas irreparáveis a muitos portugueses que confiaram no sistema financeiro e na sua supervisão adequada para aplicarem as suas poupanças”, referindo-se aos casos do BPN, BES e Banif.

“A revolta de quem foi enganado pela conduta desonesta de alguns e investiu as suas poupanças em produtos financeiros, que manifestamente não compreendia, é a nossa revolta”, defendeu, salientando que o atual enquadramento legal estava “aquém da complexidade da realidade financeira” atual. Em concreto, explicou, a iniciativa legislativa hoje aprovada, que transpõe diretivas europeias, “reforça o combate à criminalidade financeira, alargando as práticas e realidades definidas como crime e aumentando significativamente as penas previstas”.

“Esta proposta legislativa caracteriza um novo tipo de crime – o uso de informação falsa ou enganosa na captação de investimento'”, disse, considerando que “a partir de hoje fica muito claro que práticas agressivas de angariação de poupança com base na manipulação de informação são crime”. A proposta de lei aumenta ainda as sanções pecuniárias para este tipo de crimes e alarga o período de proibição de negociar instrumentos financeiros para aqueles que adotem “condutas impróprias e pouco escrupulosas”.

“Ao contrário do que surgem do outro lado do Atlântico, em que a nova administração norte-americana parece enveredar pela desregulação financeira, o pacote legislativo que propomos é um passo decisivo para aperfeiçoar e reforçar a regulação dos mercados financeiros”, defendeu. No debate, PS, PSD e CDS-PP sublinharam a importância da melhoria do quadro legal como forma de prevenção, enquanto PCP e BE consideraram que o problema só será totalmente resolvido com a propriedade pública da banca.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sistema Financeiro

Vem aí o fim da Banca

Miguel Gouveia
1.931

A mudança do modelo de negócios da banca não será sustentável a médio e longo prazo devido ao aparecimento de novas empresas cuja concorrência será devastadora para os bancos.

Sistema Financeiro

Agora foi o Popular

João Pires da Cruz
334

Ninguém ainda aprovou que Portugal fosse absorvido pela UE, ninguém aprovou o fim da República Portuguesa, ninguém decidiu que o sistema bancário português pudesse ser extinto a favor do estrangeiro.

Sistema Financeiro

Mais uma fraude financeira?

José Miguel Pinto dos Santos
702

A fraude não está em poucos euros pagarem muitas dívidas. A fraude está em se emitir divida, soberana ou particular, que não se pode, ou não se pretende, pagar.

Sistema Financeiro

Sem emenda!

Manuel Villaverde Cabral
190

O ruído em torno da CGD não cessa, comprovando que o governo nunca informou bem a opinião pública antes de iniciar o processo de capitalização e, agora, já começou a negar as promessas que tinha feito

Orçamento do Estado

Um Orçamento à esquerda

Joana Vicente

A redução pretendida do número de funcionários públicos não tem acontecido. Não é de estranhar que possa haver uma derrapagem das despesas com pessoal em 2018 superior à de 2017.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site