Logo Observador
Mercedes-Benz

Mercedes-AMG. Rival do Porsche Panamera em Genebra?

A Mercedes quer comemorar em grande os 50 anos da sua divisão desportiva. AMG GT, C 63 e C 43 conhecerão novas edições especiais, e até um rival do Porsche Panamera poderá ser antecipado em Genebra.

Autor
  • António Sousa Pereira

O mote foi dado em Detroit, por tradição local de acolhimento do primeiro grande salão internacional do ano dedicado ao automóvel. Em jeito de celebração do 50º aniversário da AMG, a Mercedes revelou quer a primeira actualização do seu superdesportivo (alguns retoques estéticos, que melhoram também o desempenho aerodinâmico, acompanhados de um aumento de potência nas versões “de acesso”), quer uma nova declinação do mesmo: o AMG GT C 50 Edition.

Já se sabe que o ponto alto da festa está marcado para Frankfurt, no Outono, quando a marca da estrela desvendar o seu novo hiperdesportivo dotado de muita tecnologia da Fórmula 1, e potência a rondar os 1.300 cv. Mas, até lá, muito haverá ainda para conhecer, como o prova o lote de novidades preparado pela Mercedes-AMG para o Salão de Genebra.

Desde logo, o novo AMG GT C Roadster Edition 50, como o seu irmão coupé disponível apenas numa série especial limitada a 500 unidades. Aliás, expectuando a capota, os dois modelos partilham o essencial do argumentário, seja o look exterior (cores exteriores exclusivas, apontamentos em preto cromado, grelha Panamericana, jantes forjadas), seja o interior preto e prata – não esquecendo a inclusão do pack Interior Night no equipamento de série. Aqui, o 4.0-V8 biturbo oferece 557 cv e 680 Nm, levando o AMG GT C Roadster até aos 316 km/h, e com os 0-100 km/h a serem cumpridos em 3,7 segundos.

Ao mesmo tempo, os C 63 Cabriolet (476 cv) e C 63 S Cabriolet (510 cv) serão propostos numa edição especial Ocean Blue Edition, limitada a não mais do que 150 unidades, e em que o primeiro elemento de destaque é a capota de lona pintada num exclusivo tom de azul. O mesmo que é aplicado noutros locais do veículo: spoilers dianteiro e traseiro, contorno dos cubos das rodas, costuras contrastantes do interior de cor cinzenta e ainda no relógio analógico da IWC.

Disponíveis em duas cores de carroçaria (branca e cinzenta), os C 63/C63 S Ocean Blue Edition contam, ainda, com caixas dos espelhos e saias laterais na cor da carroçaria, e com jantes forjadas pintadas de cinzento titânio, de 19” na frente e de 20” atrás. No habitáculo também merecem menção as aplicações em fibra de vidro cinzento mate (opcionalmente, mas sem custo, em fibra de carbono de alto brilho), o logótipo específico desta edição colocado na consola central e a inclusão do sistema Airscarf e dos bancos climatizados no equipamento de série.

Por seu turno, o C43 4Matic, com motor 3.0-V6 de 367 cv, será disponibilizado numa série especial Nigh Edition, tanto na versão coupé como no descapotável. Como é da praxe, a tónica está nos apontamentos a preto, seja na grelha, no splitter dianteiro, no spoiler traseiro, nas saias laterais, no deflector montado na tampa da mala ou nas ponteiras de escape – não esquecendo as jantes multibraços de 19” pintadas de preto mate, com aros de elevado contraste.

Se tudo isto já seria suficiente para estimular os sentidos dos amantes dos desportivos, em geral, e dos modelos da AMG, em particular, a verdade é que este lote de novidades poderá muito bem ser relegado para segundo plano. Basta que se confirmem os rumores, reforçados recentemente por uma notícia avançada pela Autocar, de que a Mercedes-AMG poderá ter preparado para a mostra suíça a estreia de um novo e surpreendente protótipo: nada menos do que a antevisão de um futuro coupé de quatro portas de luxo, capaz de rivalizar com o Porsche Panamera.

Aquele a que já muitos chamam GT4 deverá chegar ao mercado em 2018, mas antes será antecipado pelo tal protótipo, animado por uma versão com 600 cv do conhecido 4.0-V8 biturbo. Na versão de produção, e pelo menos numa fase inicial, o modelo deverá recorrer às duas versões actuais mais evoluídas deste motor, com “apenas” 557 cv e 585 cv. Hipótese é, ainda, o recurso a um novo sistema ISG, que integra o alternador e o motor de arranque, responsável não só pela função start/stop, mas também por proporcionar uma potência eléctrica extra de 20 cv em aceleração, durante curtos períodos de tempo.

Além de rivalizar com Panamera, o GT4 poderá servir como substituto dos CLS/CLS Shooting Brake, pelo que também se prevê que venha a contar com uma versão mais acessível numa fase posterior de comercialização, animada por um motor 3.0-V6 com uma potência próxima dos 400 cv. De série deverão ser sempre a mais recente versão da caixa de velocidades pilotada de dupla embraiagem e a tracção integral permanente 4Matic.

A base será a plataforma modular MRA, mas profundamente modificada pelos técnicos da AMG e, por isso, dotada de uma distância entre eixos e de larguras de vias únicas. Ao mesmo tempo, o amplo recurso a alumínio e a aço de alta resistência formado a quente permitirá que o peso seja inferior ao de outros modelos assentes na mesma plataforma (como o Classe C e o Classe E), com as suspensões a adoptarem uma configuração que permitirá distinguir o GT4, neste particular, de qualquer outro modelo actual da AMG.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Presidenciais em França

Macron, um Presidente sozinho

Alexandre Homem Cristo

O que há a festejar na (quase certa) eleição de Macron, na segunda volta, para além do facto de ele não ser Le Pen? Nada. Ele é um homem sozinho e sem força política para reformar uma França decadente