Operação Marquês

Advogados de Sócrates criticam Ministério Público por lhes negar o que dá a “jornalistas amigos”

379

Advogados de José Sócrates criticam o Ministério Público por falta de "decência" e por passar informações a "jornalistas amigos o que se recusa aos advogados de defesa".

LUIS FORRA/LUSA

Os advogados de José Sócrates, João Araújo e Pedro Delille, criticam o Ministério Público (MP) por falta de “decência” e por passarem informações a “jornalistas amigos o que se recusa aos advogados de defesa”. Numa alusão às várias notícias que saíram nas últimas horas sobre o interrogatório a Ricardo Salgado no âmbito da Operação Marquês, os advogados dizem que esta é uma forma do MP de “encarregar os jornais de apresentarem o que o MP não consegue, desde logo por meio de uma acusação”.

“Tudo isto é escandaloso e infame”, dizem os advogados em comunicado difundido nesta quinta-feira. “O Ministério Público decidiu oferecer uma cacha [um furo jornalístico] e os seus óbvios proveitos a jornais amigos, os mesmos que ajudaram a montar a Operação Marquês e a manter viva, por entre os sucessivos desaires das especulações a que tudo se resume”.

Os advogados acreditam que este é um indicador de que “os próximos dias serão férteis em novidades”. Com a divulgação destas notícias, que os advogados assumem terem sido transmitidas por fontes do Ministério Público, “a decência há muito que desapareceu do Ministério Público”.

Ainda assim, “depois de tanta investigação, estes novos depoimentos esclarecedores apenas vêm confirmar que nenhuma ligação do Engenheiro José Sócrates aos tantos milhões noticiados existe, que a tese de uma fortuna escondida está desmentida nos autos, e que a alegada proximidade com as pessoas interrogadas, aliás desmentidas por ambos, é pura e simplesmente uma ficção”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: lrosa@observador.pt
Justiça

A nossa (grande) ‘Quadrilha’

Filomena Martins
372

Não é estranho que nos últimos anos se tenham descoberto tantos suspeitos de crimes entre os mais poderosos do país? Eram todos bons rapazes antes ou só agora alguém teve coragem para os investigar?

Justiça

Querem uma justiça diplomática?

Rui Ramos
107

As relações entre Lisboa e Luanda assentam demasiado na promiscuidade entre as duas oligarquias, portuguesa e angolana. O pior que há em Portugal tende a reforçar o pior que há em Angola, e vice-versa

Corrupção

O último refúgio dos arguidos?

Rui Ramos
478

Poderá o nosso regime funcionar sem cumplicidades, sem favores, sem arranjos, sem ganhos ilegais? Ou é aquilo a que chamamos "corrupção" a única maneira de o regime existir?

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site