Logo Observador
Walt Disney

O primeiro momento gay da Disney na “Bela e o Monstro”

143

Depois de mais de 80 anos de produção de filmes, a Disney quebrou o preconceito e incluiu na nova versão do filme de "A Bela e o Monstro" um momento gay, interpretado por Josh Gad, no papel de LeFou.

Neste filme, a personagem de LeFou, empregado de Gaston, é caraterizada por estar numa luta constante contra aquilo que sente pelo seu superior

Depois de mais de 80 anos de história na produção de filmes, a Disney decidiu quebrar o preconceito e incluir na nova versão do filme de “A Bela e o Monstro” um momento gay, interpretado pelo norte-americano Josh Gad, na personagem de LeFou, conta o The Telegraph. O filme, com estreia marcada para 16 de março e protagonizado pelos atores Emma Watson, no papel de Bela, e Dan Stevens, no de monstro, quer abrir mentalidades em relação à homossexualidade e desmistificar o que, para muitos, ainda é um tabu.

Neste filme, a personagem de LeFou, empregado de Gaston, é caraterizada por estar numa luta constante contra aquilo que sente pelo seu patrão.

LeFou é alguém que um dia quer ser como o Gaston e no outro quer beijar o Gaston. Está confuso sobre aquilo que quer, é alguém que ainda está a perceber os seus sentimentos. E Josh Gad [que protagoniza LeFou] interpreta algo completamente subtil e delicioso”, revelou Bill Condon, diretor de produção do filme, em declarações à revista Attitude.

Já no leque de personagens do filme de animação original, lançado em 1981, LeFou era caraterizado por ser o infeliz ajudante de Gaston, um homem engatatão que, no meio dos seus truques de sedução, tinha Bela na mira.

Realizado por Bill Condon, o novo filme, que conta a história de uma jovem rapariga que aceita ficar presa com um monstro para salvar o seu pai, conta com um elenco de luxo, composto por Ewan McGregor (no papel do candelabro Lumiére), Luke Evans (o vilão Gaston), Emma Thompson (a chávena Mrs. Potts) e Ian Mc Kellen (o relógio Cogsworth).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt