Logo Observador
Limpeza de Pele

7 erros que (provavelmente) faz quando limpa a pele

É capaz de ser o processo mais simples na rotina diária de beleza mas, acredite, pode estar a fazer tudo errado como não lavar as mãos ou esfregar a pele com algodão. Juntámos os erros a abolir.

Água quente e uma toalha fofinha no fim sabem pela vida. Mas é preciso moderar a temperatura e jamais esfregar a pele.

Autor
  • Helena Magalhães

Não há nada que enganar na limpeza de pele: um pouco de água, um pouco de produto e pronto. Onde é que se pode falhar neste processo, certo? Mas há gestos simples que provavelmente faz e que não são recomendáveis. Desde não lavar as mãos a atacar a pele enquanto a seca, reunimos sete erros comuns.

Esfrega em vez de limpar

Como é que limpa a pele? Coloca o produto no algodão e esfrega-o pelo rosto, certo? Errado. Primeiro, se esfregar sem uma “lógica” de movimentos vai espalhar restos de maquilhagem, por exemplo dos olhos, pelo resto do rosto. O ideal será começar sempre pelos olhos (onde se acumula a maquilhagem mais pesada e escura) e, de seguida, limpar o centro do rosto que é onde o resto da maquilhagem está concentrada (base, blush, corretores e pó de bronze). Como limpar? Sempre do interior para o exterior para não trazer mais sujidade para o centro do rosto. E troque o ato de esfregar por movimentos circulares.

Não lava as suas mãos antes

Pode parecer ilógico lavar as mãos se vai estar a mexer com água e produtos de limpeza mas, acredite, os germes estão em todo o lado, até debaixo das unhas. Então, antes de tocar na sua pele, lave bem as mãos com água e sabonete para que nada se transfira das mãos para o rosto.

Não está a ter em conta o seu tipo de pele

As prateleiras de produtos de limpeza estão sobrecarregadas de produtos. E isso não é para nos confundir nem estratégia de marketing. É mesmo porque há produtos próprios para cada tipo de pele. A fórmula de limpeza errada pode retirar os óleos naturais da pele e perturbar o equilíbrio do pH — o que pode causar uma mão cheia de problemas. Por exemplo, se quem tem pele oleosa usar um produto errado, isso só vai aumentar ainda mais a produção de óleo. Descobrir o produto certo pode parecer confuso mas estas informações vêm escritas nas embalagens. Só tem de perder algum tempo a ler os rótulos ao invés de pegar no primeiro produto que encontra.

Os produtos de limpeza de Bioderma ou de Uriage são um bom exemplo. Existem em várias cores – azul para a pele desidratada, rosa para a pele sensível e verde para a pele oleosa e acneica. Não há desculpa para comprar ao engano.

Não está a usar as fórmulas como deve ser

Existem produtos de limpeza em creme, leite, gel, loção, óleo, espuma e ainda águas micelares. E nem todos se usam da mesma forma. A água micelar ou os leites e loções podem ser aplicados na pele seca mas as espumas e as fórmulas em gel já pedem que a pele esteja molhada para conseguirem aderir melhor.

Está a depender demasiado das toalhitas

As toalhitas desmaquilhantes são boas, é verdade, mas apenas em SOS. Nunca num regime continuado. Se vai de férias uma semana (ou mais) e não lhe apetece levar produtos, opte por embalagens miniaturas mas nunca dependa das toalhitas por tanto tempo. A maioria delas contém ingredientes químicos que, está certo, vão dissolver a maquilhagem mas também agridem a pele.

Água micelar ou desmaquilhante? O veredito

Põe a água demasiado quente

A água quente sabe bem, mas deve controlar a temperatura. O problema é que a água muito quente seca e desequilibra os óleos naturais da pele, deixando-a ainda mais propensa a irritações. Ou seja, a pele seca tem tendência a secar ainda mais e a pele oleosa a produzir ainda mais óleo. O ideal será lavar com água morna.

Não está a secar bem a pele

Nada sabe melhor do que esfregar o rosto numa toalha fofinha depois de estar bem limpo. Pare já. A fricção que faz quando esfrega uma toalha no rosto pode saber bem mas também pode repuxar, irritar e, pior, criar rugas. O ideal será secar a pele com leves batidas com a toalha. E nunca esfregar.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Comida

Gastronomia com Ciência

Hélio Loureiro

Uma das práticas e pontos chaves da dieta mediterrânica é o comer em família, partilhar, conviver. A própria palavra, comer tem esse mesmo significado: com (na companhia de...) e er (repetição).

Família

O cabanão (segunda crónica estival)

Maria João Avillez
129

Mas a quem preocupa hoje o esmorecimento do modelo tradicional familiar se ele é propagado como tendo passado de moda, saído de linha, estar “descontinuado”?

Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.