Logo Observador
Grécia

Credores europeus, FMI e autoridades gregas tentam na próxima semana acordo para fechar fiscalização

Os credores europeus, o Fundo Monetário Internacional e as autoridades gregas reunem-se na próxima semana para tentar um acordo que permita fechar a segunda fiscalização do resgate helénico.

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Os credores europeus, o Fundo Monetário Internacional e as autoridades gregas reúnem-se na próxima semana para tentar um acordo que permita fechar a segunda fiscalização do resgate helénico, depois de terem terminado esta quinta feira sem consenso a supervisão no terreno.

“Estão programadas reuniões para a próxima semana, antes do próximo Eurogrupo de 20 de março. O objetivo é concluir rápidamente um acordo técnico”, disse em comunicado um porta-voz do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), o fundo de resgate da zona euro.

O MEE salientou que, durante a missão “foram feitos importantes progressos para conseguir um pacote fiscal equilibrado para o periodo posterior ao programa e relativamente a várias reformas estruturais, sobretudo para o setor financeiro”.

Lembrou que as discussões em Atenas também contaram com a participação do FMI, que atualmente só presta apoio técnico ao resgate e deve decidir se vai participar financeiramente nele, conforme esperam os credores e exigem vários países da zoma euro, como a Alemanha.

Segundo os media gregos, a reforma laboral continua a ser a principal divergência entre a Grécia e o FMI.

Além disso, os credores exigem à Grécia um corte de 1.400 milhões de euros no sistema de pensões.

A segunda fiscalização do terceiro resgate financeiro grego, cuja conclusão é imprescindível para a concretização dos desembolsos, está bloqueada há meses.

As partes envolvidas asseguram que, por enquanto, a situação não é urgente dado que a Grécia tem liquidez para fazer frente às suas despesas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

Barcelona: o terror desceu às Ramblas

José Pinto

A explicação para o sucedido em Barcelona está na certeza terrorista de que com um fraco investimento existe elevada probabilidade de sucesso desde que se reunam algumas condições fáceis de alcançar.

Incêndios

Eu vivi um fogo. E vi quem são os heróis

Fernando Leal da Costa

Foi então que os vi. Os populares, como se lhes chama tantas vezes, montados em tratores e pick-ups equipados com depósitos e mangueiras. Chegam e, sem medo, atiram-se ao monstro que crepita fagulhas.