Logo Observador
Estados Unidos da América

“You’re fired”. Procurador despedido por Trump depois de recusar demitir-se

Preet Bharara garantiu, através do Twitter, não se ter demitido, mas sim ter sido despedido. Em novembro, Trump reuniu com Bharara e pediu-lhe para se manter no cargo de procurador.

AFP/Getty Images

O procurador do distrito do sul de Nova Iorque, Preet Bharara, foi despedido este sábado pelo Presidente norte-americano depois de ter-se recusado a demitir.

“Não me demiti. Há momentos fui despedido. Ser procurador do distrito do sul de Nova Iorque [SDNY, na sigla inglesa] será para sempre a maior honra da minha vida”, lê-se no tweet de Bharara.

Bharara foi um dos 46 procuradores de Obama a quem o atual procurador geral disse, na sexta-feira, para apresentar a demissão de imediato. Algo que o procurador em causa ter-se-á recusado a fazer, refere o New York Times.

Os procuradores abandonarem os seus cargos aquando da chegada de uma nova administração não é algo invulgar, explica o Business Insider. O próprio antigo Presidente Bill Clinton pediu a demissão de 93 procuradores no dia em que chegou à Casa Branca.

O que torna esta situação “estranha” foi o facto de Trump ter pedido a Bharara para se manter no cargo, em novembro de 2016 — pedido ao qual acedeu. O procurador chegou mesmo a reunir-se com o atual Presidente, durante o período de transição, na Trump Tower.

“O Presidente eleito, possivelmente por ser de Nova Iorque e por conhecer o bom trabalho que temos feito ao longo dos últimos sete anos, pediu para se encontrar comigo para saber se estaria ou não preparado para manter-me [no cargo de] procurador para continuar o trabalho que tem vindo a ser feito”, afirmou Bharara.

Segundo o Business Insider, Trump pediu inicialmente a Bharara para se manter como procurador após um pedido de Chuck Schumer, senador de Nova Iorque. “Fico preocupado ao saber das notícias dos pedidos de demissão dos procuradores, em particular de Preet Bharara, depois de o Presidente me ter ligado em novembro e me ter garantido que queria que Bharara continuasse no cargo de procurador do distrito do sul [de Nova Iorque]”, disse Schumer.

O senador adiantou ainda que, apesar de efetivamente os presidente escolhem os seus procuradores, estas situações eram tratadas de um modo mais “cordial” e de modo a não pôr em causa investigações em curso. “[Os Presidentes] pedem cartas de demissão, mas os procuradores são autorizados a permanecer no cargo até que seja nomeado o seu sucessor”, acrescentou.

Bharara é responsável por Manhattan, local onde Trump morava antes de se mudar para a Casa Branca. Recorde-se que o Presidente norte-americano acusou Obama de ter colocado escutas na Trump Tower — acusações que até agora estão por ser comprovadas, lê-se no New York Times.

Trump acusa Obama de ter posto “escutas” na Trump Tower antes das eleições

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
NATO

Surpresas

Vasco Pulido Valente

… hopes expire of a low dishonest decade… (W. H. Auden)

Terrorismo

A enorme minoria

Bernardo Sacadura

É difícil continuar a sustentar que é apenas uma minoria islâmica irrelevante a que defende os atentados terroristas. A atuação destas células também não seria possível se não tivessem cúmplices.

Terrorismo

A enorme minoria

Bernardo Sacadura

É difícil continuar a sustentar que é apenas uma minoria islâmica irrelevante a que defende os atentados terroristas. A atuação destas células também não seria possível se não tivessem cúmplices.