Logo Observador
Donald Trump

Juiz de Maryland bloqueia nova ordem migratória de Donald Trump

Mais um juiz federal, agora de Maryland, nos Estados Unidos, bloqueou temporariamente o novo decreto sobre migração do Presidente norte-americano, Donald Trump.

Bloqueio é uma segunda derrota para o Governo de Donald Trump

MICHAEL REYNOLDS/EPA

Um juiz federal de Maryland, Estados Unidos, bloqueou esta quinta-feira, temporariamente, o novo decreto sobre migração do Presidente norte-americano, Donald Trump, depois de na quarta-feira um juiz do Hawai ter feito o mesmo.

O juiz Theodore D. Chuang vetou o decreto porque prevê a “implementação de uma proibição há muito aguardada sobre os muçulmanos” e justificou a sua decisão com comentários feitos por Donald Trump durante a campanha eleitoral.

A decisão de Maryland junta-se à tomada pelo Havai e deixa sem efeito o novo decreto, que suspende a entrada no país de pessoas de seis países muçulmanos e de todos os refugiados. Aquelas decisões são uma segunda derrota para o Governo de Donald Trump, que considerou já a decisão como “terrível”, acrescentando que é uma “extralimitação judicial sem precedentes”.

O novo decreto migratória de Donald Trump, depois de o primeiro ter sido chumbado, suspendia durante 120 dias o programa de acolhimento de refugiados e durante 90 dias a entrada de cidadãos provenientes do Irão, Somália, Sudão, Síria, Iémen e Líbia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Estados Unidos da América

A faca e o queijo na mão

Diana Soller

Há razões para receber o Presidente americano com má vontade. Mas mais importante é o conteúdo político da curta visita de Trump. A Europa não está preparada para garantir a sua segurança sozinha.

NATO

Surpresas

Vasco Pulido Valente

… hopes expire of a low dishonest decade… (W. H. Auden)

Terrorismo

A enorme minoria

Bernardo Sacadura

É difícil continuar a sustentar que é apenas uma minoria islâmica irrelevante a que defende os atentados terroristas. A atuação destas células também não seria possível se não tivessem cúmplices.

Terrorismo

A enorme minoria

Bernardo Sacadura

É difícil continuar a sustentar que é apenas uma minoria islâmica irrelevante a que defende os atentados terroristas. A atuação destas células também não seria possível se não tivessem cúmplices.