Logo Observador
Câmara Municipal Lisboa

Autárquicas: Medina dirá “a seu tempo” se será candidato à Câmara de Lisboa

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse que "a seu tempo" irá revelar se será o candidato do PS, considerando que "também tem tempo para poder dizer isso".

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

O atual presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, disse este sábado que “a seu tempo” irá revelar se será o candidato do PS à presidência do município, considerando que “também tem tempo para poder dizer isso”.

Questionado pelos jornalistas à margem da inauguração do renovado Cais do Sodré, Medina respondeu que “a seu tempo” irá desvendar se será candidato às próximas eleições autárquicas.

“Também tenho o meu momento para poder dizer isso”, salientou.

A 06 de abril de 2015, o até então vice-presidente do município e responsável pelas pastas do Turismo, Finanças e Recursos Humanos passou a presidir à autarquia devido à saída do atual primeiro-ministro António Costa, para preparar as legislativas.

Hoje, Fernando Medina foi convidado também a comentar a eventual candidatura de Teresa Leal Coelho à Câmara Municipal da capital, pelo PSD, tendo deixado “uma saudação democrática” à vereadora e vice-presidente social-democrata.

Na sexta-feira, a concelhia do PSD de Lisboa anunciou já ter sido informada de que Teresa Leal Coelho deverá ser o nome escolhido como candidata à Câmara da capital nas próximas eleições autárquicas.

No dia anterior, o presidente do partido, Pedro Passos Coelho, havia afirmado que o nome já está definido e trata-se de “uma boa escolha”.

“Quero deixar uma palavra de saudação à Teresa Leal Coelho, uma pessoa que eu conheço bem, que tenho estima, e desejar que tenhamos uma grande campanha, uma campanha de debate de ideias sobre o futuro da cidade, sobre os diferentes projetos para o futuro da cidade”, acrescentou o líder do executivo municipal de maioria socialista aos jornalistas.

Na opinião de Fernando Medina, “é isso que a cidade espera de todos os partidos e de todos os responsáveis políticos”, uma vez que “as campanhas são momentos de confronto de projetos e confronto de protagonistas”.

“É esse o momento e vamos fazê-lo com alegria, com determinação, com uma grande convicção do que tem sido o projeto político que temos, e a visão que temos para o futuro da cidade de Lisboa, para que seja uma grande campanha à altura daquilo que são as expectativas e aquilo que os lisboetas merecem – que se discuta com seriedade, com rigor, as diferentes alternativas para o futuro da cidade”, rematou.

Na corrida à presidência da Câmara da capital estão já Assunção Cristas (CDS-PP), João Ferreira (CDU) e Ricardo Robles (BE).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt