Logo Observador
Aníbal Cavaco Silva

Cavaco Silva. “Há políticos que dizem que a zona do euro é a bruxa má”

195

Só se Portugal "enlouquecesse" é que saía da zona do euro, enquanto a maior parte dos políticos que falam na retirada do seu país "ignoram as dificuldades e as consequências", palavras do ex-PR.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Aníbal Cavaco Silva não prevê que Portugal saia da União Europeia ou que a moeda única caia. Na segunda parte de uma entrevista dada ao jornal Público, publicada este domingo, o ex-Presidente da República diz estar convencido que o país vai permanecer na UE “porque só se Portugal enlouquecesse é que saía da zona do euro”. Cavaco argumentou ainda que “há políticos que olham para a zona do euro e dizem que a zona do euro é a bruxa má, quando deviam agradecer as taxas de juro que este momento pagam em resultado da política seguida pelo BCE.”

Falando sobre o futuro da União Europeia e dos esforços necessários para completar a união monetária, numa entrevista que antecede o Conselho de Estado que visa discutir a Europa, o ex-PR defende que, neste momento, toda a força deve ser colocada “no fortalecimento da zona euro” e que cabe aos 19 Estados-membros que formam a eurozona chegar a um acordo e optar por uma “posição comum”.

Cavaco Silva alega ainda que os países que defendem a saída do euro estão a esconder as consequências associadas a tal decisão: “A maior parte dos políticos por essa Europa fora e em Portugal que falam na retirada do seu país da zona euro eu acho que ignoram as dificuldades e ignoram as consequências”.

Eu acho que não se vai desmoronar a zona do euro, porque qualquer governo com o mínimo de bom senso que à sexta-feira pense em tirar o seu país do euro, no domingo entra em pânico sobre aquilo que acontece na segunda-feira”.

Na opinião do ex-PR, “a criação da zona euro foi um passo de gigante no aprofundamento da integração europeia”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt