Logo Observador
Dia do Pai

Os 19 pais que criaram o mundo em que vivemos

Quem nos ensinou as maravilhas do WWW, quem nos deu telemóveis e quem garantiu a evolução da Medicina? No dia de S. José, Dia do Pai, o Observador celebra os "pais" das coisas que fazem o nosso mundo.

Gregor Mendel era um homem versátil e eclético nos gostos. Desde criança que a sua vizinhança na Silésia, território pertencente à Áustria na época, adivinhava grandes coisas para o menino de origens humildes que brincava entre as plantas. Aos 21 anos, em 1843, estava a entrar num mosteiro da Ordem de Santo Agostinho (agora mosteiro de Brno, República Checa) porque não tinha dinheiro para financiar uma universidade. Mas embora não vivesse circundado dos livros e das sebentas universitárias, ficou encarregue de cuidar dos jardins do mosteiro. Não precisava de mais para descobrir de que peças são feitas as vidas na Terra.

O então monge austríaco começou a dar aulas de Ciência na Escola Superior de Brno, após ter conseguido entrar no Instituto de Filosofia de Olmütz e depois na Universidade de Viena. Entre uma aula e outra dedicava-se ao cruzamento de espécies de feijões, ervilhas e abelhas que encontrava no jardim do mosteiro onde morava. Percebeu que havia características de certas plantas que eram transmitidas às gerações seguintes e outras que, por algum motivo, ficavam escondidas e só regressavam em determinadas condições. Então Mendel propôs a existência de um par de unidades elementares de hereditariedade responsáveis por determinar as características físicas dos seres. Eram os genes.

Graças aos esquemas projetados por Mendel conseguimos agora prever o tipo de sangue da nossa descendência, saber a cor de olhos que poderão ter ou de que doenças poderão padecer. Tudo isto porque sabemos que há certas características que são dominantes e outras que são recessivas. Tudo isso devemos a Mendel, o aclamado pai da Genética.

Em pleno Dia do Pai, que coincide com o Dia de S. José porque é considerado o cuidador de Jesus nos textos religiosos, o Observador revisitou a história da Humanidade para celebrar os “pais” criadores do mundo em que vivemos agora. Quem nos deu telemóveis, quem criou os sites e quem permitiu o desenvolvimento da Medicina para garantir a nossa saúde? Descubra na fotogaleria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Crónica

Pai: presente, distante, ausente, inexistente

Ruth Manus
5.763

O pai distante não precisa ser um pai ausente. Há inúmeros pais que se fazem presentes onde quer que nós estejamos. Há inúmeros pais que, mesmo quando morrem não deixam seus filhos sozinhos. 

Dia do Pai

Crónica Ocasional: Pai

Paulo de Almeida Sande
201

Resumiria o amor do pai e pelo pai a uma frase com pretensões holísticas: meu pai, meu castelo, impante ou em ruínas, meu constante e eterno abrigo.

Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade