Segurança Social

Abono de família foi atribuído a 1.054.477 crianças em fevereiro, menos 357 que em janeiro

O abono de família foi atribuído a 1.054.477 crianças e jovens em fevereiro, menos 357 face ao mês anterior e menos 54.249 face ao período homólogo de 2016, segundo dados esta sexta-feira divulgados.

Os dados da Segurança Social apontam também uma descida nas prestações por parentalidade pagas

MÁRIO CRUZ/LUSA

O abono de família foi atribuído a 1.054.477 crianças e jovens em fevereiro, menos 357 (0,03%) face ao mês anterior e menos 54.249 (5,12%) face ao período homólogo de 2016, segundo dados esta sexta-feira divulgados.

Dados do Instituto da Segurança Social (ISS), atualizados a 1 de março e sujeitos a novas atualizações, indicam que Lisboa é o distrito do país com o maior número de abonos de família atribuídos (209.451), seguido do Porto (204.073) e de Braga (94.612).

Os dados da Segurança Social apontam também uma descida nas prestações por parentalidade pagas em fevereiro face a janeiro. O número de beneficiários com prestações por parentalidade, em fevereiro, foi de 33.987 pessoas, valor inferior em 1,5% em relação ao mês anterior e em 3,7% face a fevereiro de 2016.

Apesar de as mulheres manterem a predominância, com 23.790 a receberem esta prestação (70% do total de beneficiários), o crescimento foi maior nos homens (5,8%), com 10.197 beneficiários, em fevereiro, refere a Síntese de Informação Estatística da Segurança Social elaborada pelo Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP). Contrariamente a esta tendência, o número de mulheres com prestações por parentalidade, comparando com janeiro de 2017, sofreu um decréscimo de 4,4%, acrescenta o GEP.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Infarmed

Um país sem remédio

Alberto Gonçalves
119

No fim, como de costume, as coisas ficarão na mesma, com o Infarmed em Lisboa, uma sucursal no Porto para justificar o barulho e cinco comissões inventadas para “articular” o arranjo.

Medicina

Mãe e avó

Pedro Vaz Patto

A respeitável intenção de ter um filho não pode levar a fazer deste um objeto de um desejo ou de um direito, a satisfazer esquecendo ou ultrapassado o seu supremo bem.

Pobreza

O dia mundial dos pobres, uma hipocrisia?!

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Com o valor, certamente astronómico, da hipotética venda da Pietà, milhões de pobres, que vivem agora na miséria, poderiam ser significativamente ajudados.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site