Logo Observador
Terrorismo

Administração Trump proíbe aparelhos eletrónicos em voos do Médio Oriente e Norte de África

Os Estados Unidos vão proibir a partir desta terça-feira o transporte de aparelhos eletrónicos nas cabines com tamanho superior a um telemóvel em voos com origem no Médio Oriente e Norte de África.

O anúncio desta nova regra será feito esta terça-feira pelo Departamento de Segurança Interna.

Getty Images

Os Estados Unidos planeiam proibir o transporte de aparelhos eletrónicos com tamanho superior a um telemóvel em aviões de algumas companhias aéreas sediadas no Médio Oriente e Norte de África. A proibição aplica-se apenas às cabines de passageiros. O anúncio foi feito na segunda-feita pela companhia aérea Royal Jordanian e por uma agência noticiosa oficial da Arábia Saudita.

De acordo com a administração norte americana contactada pela agência Reuters, na base desta decisão está uma ameaça terrorista que não foi especificada. À ABC News, uma fonte anónima governamental afirmou que esta nova regra vai aplicar-se aos voos sem escalas provenientes de dez aeroportos em oito países diferentes do Médio Oriente e Norte de África. A mesma fonte não especificou o nome dos aeroportos em causa.

Segundo o anúncio no Twitter da companhia aérea Royal Jordanian citada pela ABC News, à exceção de telemóveis e aparelhos médicos, todos os outros equipamentos deverão ser transportados no porão. O tweet foi entretanto eliminado, sendo de seguida publicado outro:

Ainda de acordo com a agência Reuters, nenhuma companhia aérea norte-americana vai ser afetada por esta proibição. O anúncio desta nova regra será feito nesta terça-feira pelo Departamento de Segurança Interna.

David Lapan, porta-voz do Departamento de Segurança Interna, e a Administração para a Segurança dos Transportes recusaram fazer comentários aos órgãos de comunicação social norte-americanos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

A enorme minoria

Bernardo Sacadura

É difícil continuar a sustentar que é apenas uma minoria islâmica irrelevante a que defende os atentados terroristas. A atuação destas células também não seria possível se não tivessem cúmplices.

Terrorismo

O respeitinho é muito bonito, mas pouco eficaz

Alberto Gonçalves
1.516

É injusto generalizar? Com certeza. Mas a aversão a generalizações, ou o respeito trémulo pelo islão, não tem corrido bem. Quando o resultado da reverência é este, talvez valha a pena tentar a afronta

PS

A comparação entre Marcelo e Ferro diz tudo

João Marques de Almeida

Almeida Santos e Jaime Gama deixaram a militância socialista quando chegaram à posição de segunda figura do Estado português. Infelizmente, Ferro Rodrigues não se compara as seus antecessores do PS.