Logo Observador
Terrorismo

Administração Trump proíbe aparelhos eletrónicos em voos do Médio Oriente e Norte de África

Os Estados Unidos vão proibir a partir desta terça-feira o transporte de aparelhos eletrónicos nas cabines com tamanho superior a um telemóvel em voos com origem no Médio Oriente e Norte de África.

O anúncio desta nova regra será feito esta terça-feira pelo Departamento de Segurança Interna.

Getty Images

Os Estados Unidos planeiam proibir o transporte de aparelhos eletrónicos com tamanho superior a um telemóvel em aviões de algumas companhias aéreas sediadas no Médio Oriente e Norte de África. A proibição aplica-se apenas às cabines de passageiros. O anúncio foi feito na segunda-feita pela companhia aérea Royal Jordanian e por uma agência noticiosa oficial da Arábia Saudita.

De acordo com a administração norte americana contactada pela agência Reuters, na base desta decisão está uma ameaça terrorista que não foi especificada. À ABC News, uma fonte anónima governamental afirmou que esta nova regra vai aplicar-se aos voos sem escalas provenientes de dez aeroportos em oito países diferentes do Médio Oriente e Norte de África. A mesma fonte não especificou o nome dos aeroportos em causa.

Segundo o anúncio no Twitter da companhia aérea Royal Jordanian citada pela ABC News, à exceção de telemóveis e aparelhos médicos, todos os outros equipamentos deverão ser transportados no porão. O tweet foi entretanto eliminado, sendo de seguida publicado outro:

Ainda de acordo com a agência Reuters, nenhuma companhia aérea norte-americana vai ser afetada por esta proibição. O anúncio desta nova regra será feito nesta terça-feira pelo Departamento de Segurança Interna.

David Lapan, porta-voz do Departamento de Segurança Interna, e a Administração para a Segurança dos Transportes recusaram fazer comentários aos órgãos de comunicação social norte-americanos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.