Logo Observador
Editoras

Minotauro: a editora do labirinto agora tem um blog

A Minotauro, que recentemente alargou o seu catálogo para incluir diferentes géneros e autores, lançou um blog com livros e muitas coisas mais. Os de março já lá estão mais há muitos mais para sair.

"Deixe-se guiar pelos labirintos da leitura": é este o lema da Minotauro

DR

A editora Minotauro, uma chancela do Grupo Almedina, lançou esta segunda-feira um blog de divulgação de lançamentos e outros projetos. O site — que inclui notícias, informações sobre os livros e autores, e até vídeos — é uma das várias iniciativas que a editora recém reestruturada pretende lançar durante o ano de 2017, procurando chegar mais perto dos leitores. No final deste mês de março, haverá também uma tertúlia na Livraria Almedina do Atrium Saldanha, em Lisboa, dedicado ao livro A Serpente do Essex, uma das apostas da editora para este ano.

A Minotauro, anteriormente dedicada exclusivamente à literatura espanhola, sofreu uma reestruturação em 2016, passando a incluir no seu catálogo uma maior variedade de géneros e autores, nomeadamente de literatura infanto-juvenil. Neste campo, sairão já este mês Astrotáxi — Rafa levanta voo, de Patrick Wendy Mass e Michael Brawer, e A Última Paragem, de Matt de la Peña e Christian Robinson.

O primeiro conta as aventuras de Rafa Estrela-da-Manhã, um miúdo de oito anos que embarca numa viagem fantástica a bordo do táxi do seu pai. Astrotáxi é o primeiro volume de uma saga cheia de humor e muitos factos científicos (as últimas páginas do livro incluem uma lista de factos científicos para impressionar “os amigos e os profs”), com ilustrações de Elise Gravel.

A Última Paragem, pensado para crianças até aos seis anos, é um livrinho de apenas 32 páginas, multi-premiado, que relata a viagem de autocarro de Alex e da sua avó. Uma viagem que, segundo a editora, mostra “um olhar maravilhoso que só pode ser partilhado entre avós e netos, ganhando vida através da escrita vibrante de Matt de la Peña e das ilustrações radiantes de Christian Robinson“.

Até ao final de março, irão ainda sair Rapariga em Guerra, um romance de Sara Nović sobre a Guerra da Croácia, vista pelos olhos de uma criança, e A Serpente do Essex, um romance histórico da inglesa Sarah Perry, vencedor do prémio de livro do ano da Waterstone. Passado em Inglaterra, no século XIX, o livro conta a história de Cora Seaborne, uma viúva rica com uma personalidade muito peculiar. A Serpente de Essex foi ainda finalista do Costa Book Award 2016.

“A Serpente do Essex”, de Sarah Perry, chega às livrarias no final deste mês de março

Ficção, fantasia e outras leituras

Outra das novas apostas da Minotauro é a literatura fantástica. Para os primeiros seis meses do ano, a editora tem planeado o lançamento de dois livros de fantasia — Uma Magia Mais Escura, de V.E. Schwab, que deverá sair já no próximo mês de abril, e A Caminhada, de Drew Magary, que deverá ser publicado em maio. Na literatura infanto-juvenil, sairá Tek — Um Menino das Cavernas Muito à Frente, de Patrick McDonnell.

Na área da ficção, em abril sairá O Homem Que Duvidava, de Ethan Canin. Bestseller do The New York Times e um dos melhores livros de 2016 para a Amazon, em O Homem Que Duvidava Canin explora a natureza do génio, narrando a história de uma família na qual a “ambição caminha de mãos dadas com a destrutividade”, de acordo com a Minotauro. Maio será o mês de Comunidade, da norte-americana Ann Patchett.

Em junho, será publicado Mulheres Sem Nome, um romance histórico de Marth Hall Kelly. O livro segue o percurso de três mulheres muito diferentes, cujos destinos se cruzam durante a Segunda Guerra Mundial: uma norte-americana da alta sociedade, uma polaca envolvida no movimento de resistência que acaba por ser enviada para o campo de concentração feminino de Ravensbrück, e uma jovem médica alemã que aí trabalha.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rcipriano@observador.pt
Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade