Google Maps

2 minutos e 3305 imagens do Google Maps. É quanto demora a volta ao mundo

A sua lista de sonhos por cumprir vai ser reduzida graças a Matteo Archondis. O utilizador do YouTube fez um vídeo de 2 minutos com 3305 imagens do Google Maps que lhe permite dar a volta ao mundo.

Itália é o país de partida da viagem virtual. Seguem-se alguns países europeus e depois o mundo

ideando/Youtube

Já pode riscar da sua lista o sonho de dar a volta ao mundo. Graças a Matteo Archondis, um utilizador do YouTube, vai poder fazê-lo em pouco mais de dois minutos. Um vídeo com imagens do Google Maps tornou-se agora viral.

Matteo Archondis é um estudante de design gráfico e recolheu 3305 imagens do Google Maps e do Google Street View que juntou num único vídeo. O processo de recolha durou dois dias. Seguiu-se uma semana inteira em que o estudante editou, estabilizou e juntou as imagens a fim de tornar a viagem virtual o mais realista possível. Para além disso, Matteo Archondis conseguiu eliminar todas as etiquetas informativas contidas nas imagens com a ajuda de ferramentas do Google Chrome. O resultado está à vista:

Itália é o país de partida da viagem virtual. Seguem-se alguns países europeus antes de um voo até ao Rio de Janeiro, no Brasil. A viagem nos Estados Unidos não acaba sem passar pelo Grand Canyon, o monte Rushmore e Nova Iorque. A rota não exclui a Gronelândia nem o Everest. A viagem acaba numa cidade japonesa. É a volta ao mundo a custo zero.

“A ideia era mostrar as possíveis ferramentas que temos para descobrir o mundo ao nosso redor, mesmo se não nos podermos dar ao luxo de viajar para lugares longe de casa”, explicou Matteo ao El Mundo, acrescentando que sempre quis “criar e experimentar algo novo com o Google Maps e Street View” que para o estudante “é uma das melhores invenções para descobrir e ver as vistas sem sair de casa”.

O vídeo publicado no mês passado em celebração dos doze anos do Google Maps só agora se tornou viral e conta com mais de 1 milhão de visualizações.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Meus pais e seus aparelhos eletrônicos

Ruth Manus

Parece que todos os aparelhos eletrônicos que os meus pais compram foram vítimas de algum tipo de maldição que tornou seu funcionamento algo absolutamente anormal. 

Pobreza

Em nome dos filhos

Diogo Prates

Esta é a oportunidade de a direita portuguesa conseguir com um discurso simples mas eficaz apagar de vez a imagem de que a esquerda é a única que se preocupa com os mais pobres e desfavorecidos. Não é

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site