Logo Observador
São Tomé e Príncipe

Exercício militar internacional arranca na sexta-feira em São Tomé e Príncipe

O exercício militar multinacional e combinado Obangame Saharan Express 2017 destinado ao reforço da cooperação regional e melhorar a segurança na região do Golfo da Guiné começa na sexta-feira.

O exercício decorre entre os dias 24 e 28 deste mês e é liderado pelo comando africano dos Estados Unidos da América

Ana Freitas/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O exercício militar multinacional e combinado Obangame Saharan Express 2017 destinado ao reforço da cooperação regional e melhorar a segurança na região do Golfo da Guiné começa na sexta-feira em São Tomé e Príncipe, foi esta quinta-feira anunciado.

Discursando na apresentação do exercício, o Chefe de Estado-maior General da Forças Armadas são-tomenses, brigadeiro Horácio Sousa, sublinhou a importância desta série de exercícios e a necessidade da “conceção de uma estratégia marítima que não se cinge única e exclusivamente no vetor militar de qualquer Estado, mas a transversalidade que a mesma merece em termos internos e a cooperação em termos externos”.

O brigadeiro referiu-se ainda ao Golfo da Guiné como “espaço que tem vindo a ganhar alguma notoriedade por bons e por maus motivos”.

“Os bons dizem respeito, essencialmente, a importância que tem vindo a assumir como fonte de recursos naturais e relevantes linha de comunicação internacional”, disse.

“Os maus relacionam-se com a condução de atividades ilícitas, nomeadamente droga, tráfico de seres humanos, pesca ilegal, atos de pirataria e a degradação ambiental, que constituem obstáculos ao desenvolvimento sustentado dos países”, acrescentou Horácio Sousa.

Participam no exercício Obangame Express 2017 marinhas e guardas costeiras de 22 países, na sua maioria da África Central, da América e da Europa.

O mar de toda a sub-região será, por isso, teatro das operações, onde estão envolvidas dezenas de embarcações militares, quatro das quais de São Tomé e Príncipe.

Além da segurança do Golfo da Guiné, o exercício Obangame Express propõe avaliar e melhorar a capacidade de aplicação da lei marítima internacional, através de uma parceria estratégica de segurança regional.

“A parceria africana da lei marítima permite aos parceiros a criação de um programa para a conceção de medidas capazes de aplicar a lei, aumentando a segurança e a melhoria da gestão dos recursos naturais na zona do Golfo da Guiné”, explicou Horácio Sousa.

O exercício decorre entre os dias 24 e 28 deste mês e é liderado pelo comando africano dos Estados Unidos da América.

“O Obangame Expresse 2017 é uma oportunidade importante para nós trabalharmos juntos para aumentar a segurança e a operacionalidade marítima especialmente com os nossos amigos e aliados da guarda costeira do Golfo da Guiné e África do Oeste”, disse o tenente Sam Colton da marinha dos Estados Unidos.

Além da guarda costeira, diferentes organismos do Estado participam no referido exercício.

Os ministros da Defesa e da Administração Interna, Arlindo Ramos, e das Finanças, Comércio e Economia Azul, Américo Ramos, estiveram presentes na cerimónia de abertura.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt